No último domingo (7) pela manhã, Onyx Lorenzoni, o ministro da Casa Civil, fez uma afirmação positiva com relação ao número de votos de deputados necessários para que se consiga aprovar a nova reforma da Previdência no plenário da Câmara.

Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, a declaração de Onyx ocorreu na saída de uma reunião na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

"Temos um cálculo realista ao redor de 330, com pé bem no chão, caminhamos para ter algo em torno de 330 e pode ser até mais do que isso.

É uma margem que a gente acredita ser possível", disse Onyx.

O plenário da Câmara dos deputados tem 513 parlamentares. Se confirmados os 330 votos, serão 22 a mais do que o necessário para aprovar a Previdência na Casa.

Rogério, Maia e os votos da reforma

Ainda de acordo com informações do Estadão, Rogério Marinho, o secretário de Previdência, também estava na casa oficial de Rodrigo Maia para discutir os procedimentos de terça-feira (9).

Onyx Lorenzoni não descartou que no plenário possa haver alguma questão, apesar disso ele também reafirmou o compromisso com as bancadas.

Segundo o que disse Lorenzoni, o processo de votação da matéria deve iniciar nesta terça-feira (9), conforme já anunciado por Maia. Cabe frisar, no entanto, que o início do trâmite da matéria não deve ser confundido com a votação da matéria em si.

O ministro da Casa Civil antecipou que a votação da matéria, em si, só deve ocorrer na quarta-feira (10). Apesar das nuances e algumas alterações no texto, a proposta da reforma da Previdência ainda deve permanecer ao redor da economia de R$ 1 trilhão.

No cenário do plenário da Câmara dos deputados onde será o palco da votação da PEC da reforma da Previdência, Lorenzoni também mostrou-se positivo principalmente nesta próxima fase que está por vir, já que além de se precisar de uma gama muito maior de votos do que na comissão especial da Câmara, o texto da Reforma já sofreu algumas alterações.

Categoria dos policiais x PEC

Já no que diz respeito aos policiais, que podem requerer melhores ajustes no plenário da Câmara, Onyx Lorezoni alegou existirem questões não só na idade e minimizou o assunto, alegando que o texto que foi aprovado na comissão especial já contempla questões importantes para a categoria.

"Me parece que o texto aprovado na comissão já contempla questões importantes para policiais", afirmou.

Contudo, a informação que se tem é de que Onyx tenha recebido uma análise avaliada por técnicos, sobre a categoria.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!