Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) recebem desde a última segunda-feira (26) a primeira parcela correspondente ao 13º salário anual. Essa complacência é uma determinação da Medida Provisória 891/2019, assinada dia 5 de agosto pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A medida altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, dispondo sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social.

A MP prevê que esta primeira parcela de agosto corresponda a 50% do total do benefício. O segundo montante desse abono salarial será pago de novembro a dezembro, quando também virá descontado o valor devido ao Imposto de Renda. Esse acréscimo no benefício do mês de agosto ocorre porque junto estará a antecipação do final do ano, folha de pagamento unificada.

Esta serventia beneficiará os assistidos por auxílio-acidente, auxílio-doença, aposentadoria, pensão por morte, auxílio-reclusão e outros tipos de modalidades de amparo do Seguro Social.

INSS pretende cobrir 30 milhões de pessoas

Segundo o portal G1, a meta do programa de benefícios do INSS, que pagará valor proporcional aos titulares de auxílio-doença e salário-maternidade, é atingir cerca de 30 milhões de pessoas com a Medida Provisória.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Essa medida possibilita o estímulo de R$ 30 milhões na economia brasileira, impulsionando o Produto Interno Bruto do País (PIB).

Os recursos oriundos desta MP, serão creditados pelo INSS na conta-corrente do beneficiado sob sua aquiescência. Beneficiários da Previdência Social que recebem o amparo assistencial ao idoso e ao deficiente (BPC–LOAS), amparo previdenciário rural, renda mensal vitalícia (RMV) e pensão decorrente da síndrome de Talidomida, ficam de fora do alcance da Medida Provisória, assinada pelo presidente Bolsonaro.

De acordo com o site do Senado, o porta-voz da presidência, Antônio Rego de Barros, entende que além de aquecer o mercado, atribui segurança e previsibilidade aos beneficiários, que terão segurança no recebimento desse adiantamento todos os anos. Essa antecipação acontecia, mas anualmente o presidente em exercício precisava baixar um decreto com essa determinação. Com a MP 891, este objeto tornou-se autorização permanente.

O site do Senado informou também que esta Medida Provisória passará por um estudo técnico de uma comissão mista com deputados e senadores, seguindo posteriormente para ser votada nos Plenários da Câmara e do Senado. A data para instalação dessa Comissão ainda não foi definida.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo