Desde que iniciou os pagamentos do auxílio emergencial, a Caixa Econômica vem tentando sanar as dúvidas de inúmeros trabalhadores através do presidente da instituição, Pedro Guimarães. O auxílio de R$ 600 foi criado pelo Governo federal em parceria com o Ministério da Cidadania, em virtude da pandemia causada pela Covid-19. Milhões de desempregados e trabalhadores informais já tiveram acesso à primeira parcela do auxílio, com previsão de ser pago em três parcelas. Porém, muitos trabalhadores ainda não tiveram acesso ao benefício. De acordo com o site UOL, nesta segunda-feira (20), o presidente da Caixa anunciou a antecipação da segunda parcela do auxílio emergencial, que estava prevista para o dia 27 de abril.

Segundo Pedro Guimarães, a data de pagamento foi antecipada para a próxima quinta-feira (23). Trabalhadores informais e inscritos no CadÚnico, nascidos nos meses de janeiro e fevereiro, receberão na próxima quinta (3). Os pagamentos seguirão os meses de nascimento dos trabalhadores.

Guimarães fala sobre quem não recebeu auxílio

Diante do anúncio sobre a antecipação da segunda parcela do auxílio emergencial, dúvidas foram levantadas acerca dos trabalhadores que ainda não receberam nem a primeira parcela do benefício. Ainda de acordo com Pedro Guimarães, pessoas que ainda não receberam o auxílio por algum problema, poderão receber duas parcelas ainda esta semana, sendo a primeira até a próxima quarta-feira (22), e a segunda a partir da próxima quinta-feira (23).

De acordo com Guimarães, em duas semanas, a Caixa Econômica Federal liberou cerca de R$ 24 milhões em pagamentos. O aplicativo disponibilizado pela Caixa contou com 50 milhões de downloads e se tornou o app mais baixado em todo Brasil de acordo com o Poder Executivo. Guimarães também falou sobre as filas e aglomerações em agências da Caixa, que, segundo ele, estariam ocorrendo em razão dos trabalhadores estarem buscando esclarecer dúvidas sobre o auxílio emergencial.

Por meio de portaria editada pelo Ministério da Justiça, seguranças foram autorizados a trabalharem do lado de fora das agências a fim de organizarem as filas evitando tumulto.

Reclamações sobre reprovação do auxílio

De acordo com o site IG, nesta segunda-feira (20), milhares de pessoas usaram seus perfis no Twitter para reclamarem sobre a reprovação do auxílio emergencial.

A hashtag #AuxílioEmergencialNegado, chegou a estar entre os trending topics do Twitter. Entre os assuntos mais comentados, também esteve a demora na espera da análise do cadastro. Nas postagens, internautas vem trocando informações sobre como teriam realizado o cadastro e quantos CPFs teriam preenchido no site ou app.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!