Foi divulgado na segunda-feira (6) pelo governo federal o cronograma de pagamento no valor de R$ 600 de auxílio aos trabalhadores informais. O “Coronavoucher”, como foi denominado informalmente o programa, o benefício prevê uma ajuda temporária para 54 milhões de brasileiros nos próximos três meses. O cadastro será realizado por um aplicativo de celular, que será disponibilizado pela Caixa Econômica Federal nesta terça-feira (7).

Serão cadastrados pelo aplicativo os trabalhadores que não possuem registros em outros bancos de dados do governo, como por exemplo, o programa Bolsa Família ou o Cadastro Único (CadÚnico).

Está sendo prevista pelo governo federal a liberação de R$ 98 bilhões neste o período, e um pagamento escalonado do benefício.

Novo app

A Caixa Econômica Federal ficará encarregada por um novo aplicativo que, segundo o banco, irá simplificar a retirada do benefício temporário. Será um aplicativo similar ao usado pelo programa de saque do FGTS. O governo espera liberar o pagamento em até 48 horas depois que o cadastro for recebido, seguindo o cronograma que foi anunciado para o auxílio emergencial. A Caixa também anunciou um medida para agilizar o processo, existe a opção de abrir uma conta poupança digital sem nenhum custo, o que evitaria aglomerações nas agências.

Quem poderá receber

Para ter direito a este auxílio é preciso ser maior de 18 anos, não estar empregado formalmente, não ganhar benefício previdenciário ou assistencial, (a exceção é o Bolsa Família), possuir renda mensal de até no máximo meio salário mínimo, o equivalente a R$ 500 por membro da família, ou ainda que tenha renda familiar total que não ultrapasse R$ 3.135,00.

Bolsa Família

Aqueles que são beneficiados pelo programa Bolsa Família também podem receber o auxílio, basta que o benefício original não seja maior que o valor do “coronavoucher”, nesta situação, prevalecerá o pagamento com o maior valor, não podendo haver acumulação.

Esta ajuda poderá ser recebida por até duas pessoas pertencentes à mesma família, chegando ao valor de R$ 1.200,00.

A mesma quantia pode ser paga a mulheres que são as únicas responsáveis pelo sustento de suas famílias.

Até o momento não foi informado como funcionará o cadastro feito pelo smartphone, porém, segundo Pedro Guimarães, o presidente da Caixa Econômica Federal, o próprio programa tratará de identificar se o trabalhador está apto a receber o benefício que será dado pelo governo no período de isolamento social feito para conter a pandemia do novo coronavírus.

O app foi desenvolvido pela equipe tecnológica da Caixa, ele chegará primeiro em versão feita para o Android, na loja virtual Google Play, estima-se que o governo atenderá com esta medida entre 15 e 20 milhões de pessoas que não participam de programas como o Bolsa Família.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!