O auxílio emergencial, uma forma de socorrer os trabalhadores que tiveram a renda interrompida em função do novo coronavírus, traz, além de muitas dúvidas, chateação à classe trabalhadora. Não é raro constatar nas redes sociais, pessoas reclamando da demora na liberação do recurso de R$ 600.

Uma reclamação recorrente diz respeito ao avanço de etapas no pagamento. A morosidade é a principal bronca dos contribuintes. Não sair da fase “em análise” é um exemplo.

A dica da Caixa é que o aplicativo seja atualizado. Na última semana, o banco divulgou que o mecanismo digital de acesso passou por atualizações.

O sistema ainda recebe os cadastros efetuados, que estavam de posse do Dataprev. A justificativa para a lentidão é que houve uma demanda acima da esperada pelo banco.

Outros fatores

Na segunda-feira (27), começaram os saques bancários do benefício. Em muitas agências bancárias e casas lotéricas, houve o registro de filas quilométricas de pessoas em busca do dinhejro prometido pelo Governo. Mas há, também, uma outra preocupação do banco e diz respeito à aglomeração de pessoas.

A Caixa insiste. Use os mecanismos digitais disponíveis pelo banco para evitar filas e possibilidade de contato entre funcionários e beneficiários. Há uma série de fatores que podem dificultar o acesso ao dinheiro, então quem precisa do recurso precisa redobrar a atenção para evitar dissabores.

Uma delas: quem não recebe o Bolsa Família, mas foi autorizado a receber o auxílio emergencial precisa se atentar ao aplicativo Caixa Tem. Após gerar o código para o resgate do dinheiro, essa sequência numérica se expira em duas horas. Se na agência o cidadão não for atendido no período, corre o risco de sair sem a grana.

Saia de casa na certeza

Antes de enfrentar filas, uma outra recomendação. Acesse o site auxilio.gov.br para checar se, de fato, o benefício está liberado. Atente-se à data de pagamento. A Caixa divulgou um calendário, que é respeitado pelo banco. Nesta terça-feira (28), por exemplo, quem recebe são os nascidos em março e abril.

Quarta-feira (29) é a vez de quem nasceu em maio e junho. O dia seguinte, uma quinta-feira (30), está reservado para o pagamento aos nascidos em julho e agosto. Na próxima semana, dia 4 de maio, recebem os nascidos em setembro e outubro e, no dia 5, quem aniversaria em novembro e dezembro.

Antes de sair de casa, cheque a operacionalidade do aplicativo Caixa Tem e se é possível gerar um código verificador.

Para isso, acesse o Caixa Tem. Selecione a opção “saque sem cartão” e após clique em “entrar”. Escolha a opção “saque auxilio emergencial” e gere o código para saque. É necessário também digitar uma senha de seis dígitos e ficar atento para anotar o código que aparece na tela do celular.

A Caixa, geralmente, tem mais de uma agência em municípios de médio porte.

Então, dê preferência as que têm menor movimento de clientes. As localizadas no centro das cidades têm menor fluxo. Há agências com horário especial de atendimento, portanto, antes de sair de casa confira o horário em: caixa.gov.br/caixacomvoce/agencias-horario-especial. Por fim, não saia de casa sem a certeza de ter sido aprovado no auxílio. Dois dispositivos estão aptos à consulta: auxilio.caixa.gov.br e o telefone do auxílio emergencial: 111.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!