Ainda na tarde da última quinta-feira (23), o Ibovespa voltou a se distanciar dos números relativos ao exterior e seguiu na direção oposta de grande parte dos pregões que aconteceram ao longo do ano de 2020.

De acordo com os gráficos, isso aconteceu logo após os rumores da demissão de Sergio Moro, o atual ministro da Justiça, começarem a circular em veículos de comunicação.

É possível afirmar que Moro conseguiu adquirir notoriedade antes de assumir o cargo em questão por ter sido responsável por comandar a Operação Lava Jato.

Assim, uma possível saída do ministro do seu cargo no Palácio do Planalto acabou por derrubar o Ibovespa, que estava em alta.

A queda em questão representou mais de 2% e deixou claro que Sergio Moro pode ser considerado uma das figuras mais populares atualmente na gestão do presidente da República Jair Bolsonaro.

A revista Exame ainda pontuou que na manhã dessa sexta-feira (24), o dólar havia quebrado o recorde de alta da véspera. Além disso, a perspectiva de Selic mais baixa e de menor moeda estadunidense circulando pelo Brasil tem feito com que o preço do dólar americano dispare.

Entretanto, a parti do momento em que o câmbio havia começado a desacelerar o seu rali de alta, a possibilidade da saída de Sergio Moro voltou a fazer com que a aceleração voltasse a acontecer e, portanto, o dólar teve novas máximas na data citada anteriormente.

Ainda de acordo com as informações, é possível afirmar que o dólar, no final da última quinta-feira (23), chegou a subir 2,21% e chegou aos R$ 5,52, representando um novo recorde nominal no Brasil.

Disparadas do petróleo deixam o clima mais otimista

Apesar de todos os fatores citados anteriormente, o clima da manhã era um pouco mais otimista no Brasil em decorrência das novas disparadas do petróleo.

Essa alta representa a segunda consecutiva depois de duas quedas bruscas que aconteceram ainda no início dessa semana, ocasião em que o commodity citado chegou a ser vendido por preços negativos em Nova York.

De acordo com o CenárioMT, é possível pontuar que o pontapé inicial para que essas novas altas do petróleo tenham acontecido está ligado ao fato de que os produtores dos Estados Unidos decidiram apostar na compra, visto que estão em vias de não ter outra solução.

Portanto, se antes eles relutavam para cortar as suas ofertas, acabaram optando por isso diante do cenário descrito anteriormente.

Por fim, sem ostra válido destacar que a Opep+ chegou a afirmar que já aceitou seguir por esse caminho há alguns pregões. Desse modo, segundo o CenárioMT, seria possível explicar a volatilidade melhor dos preços em Londres.

Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!