A Caixa Econômica Federal liberou a segunda parcela do auxílio emergencial para saques e transferências para as pessoas nascidos em maio e junho que têm direito ao benefício. Os recursos são transferidos automaticamente para a conta bancária indicada pelo beneficiário, já a liberação de transferência da poupança social da Caixa para outros bancos e os saques estão sendo realizadas de acordo com o mês de nascimento do usuário.

Foram liberados, no último sábado (30), para os nascidos em janeiro a transferência e o saque, nesta quinta-feira (4), a vez dos nascidos em maio e nesta sexta-feira (6) é o dia para os nascidos no mês de junho.

A liberação segue até o dia 13 de junho para os nascidos em dezembro, sem contar com o domingo (7).

Quem teve benefício negado pode pedir correção

Uma nova solicitação para realizar o pedido do auxílio emergencial pode ser feito pelo aplicativo da Caixa pelos trabalhadores que tiveram o auxílio negado.

A decisão foi determinada pelo Ministério Público Federal (MPF) em acordo com a Advocacia Geral da União (AGU), firmando, em âmbito de uma ação Civil pública, o acordo para questionar possíveis falhas no aplicativo no momento do trabalhador fazer seu cadastro, visando um aperfeiçoamento da análise dos pedidos do auxílio. Também, fazem parte do acordo o Ministério da Cidadania, Dataprev e Caixa Econômica Federal.

O Ministério da Cidadania anunciou a medida na quarta-feira (3), desta forma, o Governo se compromete a substituir a expressão “Dados inconclusivos” pela opção “Realize Nova Solicitação, possibilitando ao trabalhador a possibilidade de correção ao realizar um novo pedido do auxílio.

Auxílio emergencial foi solicitado por 107 milhões de pessoas

Com quase dois meses do início do cadastramento do auxílio emergencial, a Caixa relata que 107 milhões de brasileiros solicitaram o benefício de R$ 600,00.

O Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, relatou que nas últimas 24 horas, cerca de 100 mil brasileiros solicitaram para receber o benefício do auxílio emergencial, o número de pedidos em análise subiu para 11,1 milhões de brasileiros cadastrados, destes, 5,8 milhões estão em sua primeira análise e 5,3 milhões estão em segunda ou terceira análise.

Do total de 107 milhões de solicitações do auxílio, 59 milhões foram aprovados pelo benefício e 42,2 milhões foram considerados inelegíveis, quando o benefício é recusado devido o cidadão não atender aos requisitos da lei que criou o auxílio emergencial.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!