Nesta terça-feira (1°), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que o programa auxílio emergencial, destinado a beneficiários do Bolsa Família, desempregados e informais, será estendido até dezembro de 2020 com o valor reduzido a R$ 300. Segundo o presidente, esse valor é maior que 50% da média destinada ao Bolsa Família, que vinha sendo de R$ 190, conforme a criação do programa na gestão do PT.

A decisão pelos R$ 300 ocorreu porque o valor de R$ 600 estava pesando nos cofres do governo brasileiro. Bolsonaro reconheceu que o valor não é suficiente para todas as necessidades, porém ressaltou que o mesmo atende ao básico.

Criação do auxílio emergencial como medida do pacote anticrise

A pandemia do novo coronavírus começou a se alastrar por todo o território brasileiro, gerando a necessidade do Governo criar um modelo de assistência social que contemplasse a todos os vulneráveis que ficariam sem poder sair de casa para trabalhar devido às medidas de distanciamento e isolamento social.

O programa se tornou lei e visava durar apenas os meses de abril, maio e junho. Mas, devido à continuidade da pandemia, o governo se viu na obrigação de estender em mais duas parcelas de R$ 600. As cinco parcelas do auxílio emergencial chegaram ao valor aproximado de R$ 254,4 bilhões em recursos, tornando-se a medida mais cara do pacote anticrise criado para enfrentar a pandemia da Covid-19.

Extensão do auxílio emergencial vai até dezembro com valor de R$ 300

Diante do quadro da pandemia que ainda persiste no país, e com a crise econômica gerada provocando queda histórica no PIB, o governo Bolsonaro, após muito debate, chegou ao consenso de que o valor possível será de R$ 300. Para tanto, será necessário a criação de uma Medida Provisória (MP) para que seja possível mexer no valor.

A decisão foi tomada após o café da manhã organizado para ajustar os valores do auxílio emergencial, bem como a sua prorrogação. No café estavam 20 parlamentares do Centrão, os ministros Paulo Guedes (Economia), Walter Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança).

A reunião promoveu uma melhora na aproximação entre o Executivo e o Legislativo.

Auxílio emergencial é o mais caro do pacote anticrise

A medida do auxílio emergencial já contemplou cerca de 67 milhões de pessoas (quase um terço da população brasileira) durante as cinco primeiras parcelas que estavam divididas em R$ 600, R$ 1.200 e R$ 1.800, que foram destinadas conforme as condições de necessidades de cada cidadão brasileiro que se encontra em situação de pobreza e/ou extrema pobreza.

Segundo o ministro Guedes, as próximas quatro parcelas a serem pagas até dezembro custarão cerca de R$ 90 bilhões adicionais. Já o programa Renda Brasil ficará para o ano de 2021.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o programa social denominado de auxílio emergencial tem sido um dos grandes fatores que vem aumentando a popularidade do atual presidente Bolsonaro que tem demonstrado interesse em disputar as eleições 2022.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!