Nesta quinta-feira (24), a saga brexit chega ao fim. As negociações entre o governo do Reino Unido e a União Europeia (UE) fecham acordo comercial com a finalidade de regular a relação entre os países nos anos seguintes. Esse é o último passo que estava faltando para que a separação entre Londres e Bruxelas fosse enfim selada.

O período de transição foi acordado em 5,5 anos, tempo considerado suficiente para que as novas regras possam entrar totalmente em vigor. O anúncio oficial foi feito pelo gabinete do primeiro-ministro do Reino Unido. O texto ainda afirmou que o que foi prometido no referendo de 2016 será cumprido de modo que os britânicos para que possa ser retomado o controle das fronteiras, além das leis, comércio e dinheiro.

Acordo surge em momento de lockdown em Londres

Felizmente a notícia chega em um momento em que o país enfrenta um dos maiores lockdown na região de Londres. Em Londres uma nova cepa do coronavírus (Covid-19) foi descoberta e as informações é de que o nível de contágio seja 70% a mais. Portanto, esse também foi um momento propício para acelerar os Negócios entre UE e Reino Unido, que logo poderia ficar desabastecido.

Boris Johnson disse em entrevista que a nação pode se sentir renovada para tirar o melhor deste momento. A presidente alemã da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que o sucesso dessa negociação lhes trouxe calma, satisfação e alívio. Ainda ressaltou que esse é um novo começo para ambas as partes.

Acordo comercial entre Reino Unido e UE tem alcance limitado

O fim da saga Brexit aconteceu nesta quinta-feira (23), no entanto ainda não foi o livre comércio que o primeiro-ministro britânico havia prometido em campanha eleitoral. Segundo analises, será inevitável o alto custo do transtorno comercial, mas ainda assim o acordo foi bem-sucedido.

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia do novo coronavírus, assim como pelas relações contrastantes entre os britânicos.

No entanto, em ambos os casos o que se percebe é o início de novos ares com o advento da vacina e agora com o divórcio finalizado onde ambos os lados terminam como amigos ao invés de rivais.

Sem acordo no Brexit, Reino Unido ficaria desabastecido

O maior temor dos britânicos era de que a falta de acordo entre as partes provocasse um aumento da crise econômica pela qual passa o Reino Unido, além de gerar um cenário de desabastecimentoM visto que muitos produtos e matérias-primas chegam ao país por meio dos países membros da UE.

Segundo estudos, caso não houvesse resolução pacífica, o Reino Unido ficaria sem uma série de produtos fundamentais, como verduras e legumes, dentre muitos outros. Então para que isso fosse evitado, Von der Leyen e Boris Johnson aceleraram as negociações e começaram a dialogar por telefone diariamente. Diplomatas chegaram a afirmar antes do final da saga que esse acordo significaria uma "espécie de milagre de Natal". O milagre aconteceu.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Siga a página Mundo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!