Nesta sexta-feira (19), a Volkswagen anunciou que irá suspender sua produção em todas as unidades brasileiras por um período de 12 dias corridos. A decisão advém do agravamento da pandemia da Covid-19, que tem potencializado a mortalidade no país.

A interrupção da montadora iniciará na próxima quarta (24) e abrange as fábricas situadas nas cidades paulistas de São Carlos, São Bernardo do Campo e Taubaté. No Paraná, a fábrica que fica em São José dos Pinhais também terá as atividades suspensas.

Pandemia faz Volkswagen pensar na saúde de seus funcionários

A VW afirmou que a alta taxa de ocupação dos leitos de UTI nos estados brasileiros fez com que a empresa tomasse a iniciativa de interromper a produção no Brasil como forma de ressaltar a importância do distanciamento para preservar a vida e a saúde de seus funcionários e familiares.

A gravidade da situação sanitária, até o momento, não atrapalhava as atividades fabris. No entanto, essa parada já era esperada, devido à falta de materiais essenciais para a produção apesar de a empresa ter feito alguns milagres logísticos ao longo do período em que se estende a pandemia.

Segundo o representante da Volkswagen, essa paralisação tende a ajudar a equilibrar os assuntos referentes a falta de componente para fabricação dos veículos, bem como os cuidados para com os funcionários.

A VW mostra preocupação em relação à pandemia que se alastrar com mais força no território brasileiro por meio da nova cepa que é potencialmente mais contagiosa que a primeira.

Volkswagen: afastamento temporário não incorrerá prejuízo salarial

Nesta sexta (19), o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC se reuniu com a Associação de Montadoras (Anfavea) e defendeu a paralisação na linha de montagem das empresas devido o avanço da pandemia.

A decisão da VW atinge aproximadamente 15 mil funcionários das áreas de produção. Já os funcionários que trabalham no setor administrativo irão realizar as atividades de forma remota. A Volkswagen não revelou o número de produção e nem comentou sobre o impacto econômico que será provocado pela suspensão. Mas afirmou que o pagamento dos empregados não será impactado, pois serão compensados futuramente.

Europa sofreu paralisações na produção de carros, em 2020

Em março do ano passado, a Volkswagen tomou a mesma decisão na Europa, pois a pandemia praticamente paralisou com toda a produção de automóveis no continente. Também, em abril de 2020, a linha de montagem de todas as marcas foram interrompidas, registrando os piores momentos para o setor desde 1950. Diante da gravidade da pandemia, as empresas passaram a criar estratégias sanitárias para retomar o trabalho.

Paraná e SP enfrentam situações críticas na pandemia

São Paulo e Paraná se encontram entre os estados que enfrentam situações extremamente críticas e por este motivo outras iniciativas estão em andamento para buscar a adesão das empresas ao momento de lockdown.

O lockdown em São Paulo, iniciou na segunda, de forma mais rígida, e vai até 30 de março.

Será mantido o toque de recolher das 20h às 5h, o fechamento de praias, parques e igrejas e, retirado os alimentos dos restaurantes.

No Paraná, a medida restritiva vai até abril visando conter a disseminação do vírus. Na quinta-feira (18), o estado superou a marca de 100% de ocupação nos leitos de UTI, onde o número de internados era de 474 para 469 leitos existentes.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!