Titular nos últimos oito jogos do Real Madrid na temporada, Vinícius Júnior está bastante cotado para iniciar o confronto de ida das semifinais da Copa do Rey nesta quarta, às 18h (de Brasília). A partida acontecerá no Camp Nou, na cidade de Barcelona, na Catalunha, diante do Barça. Se as expectativas forem confirmadas, será o primeiro Superclássico da Espanha do jovem, que, com apenas 18 anos, espelha-se em outro grande craque brasileiro para obter sucesso: Neymar.

Publicidade
Publicidade

"Ou no Madrid, ou na Seleção. Quero jogar ao lado do Neymar. É meu ídolo. É o cara que eu acompanho desde quando ele começou no Santos.Tenho um carinho muito grande. Ele sabe disso", disse o ex-atacante do Flamengo ao site Esporte Interativo.

A admiração de Vinícius não é para menos. Em 2013, quando ainda defendia o Barça, o atual craque do Paris Saint-Germain, logo aos 18 minutos, aproveitando passe de Iniesta, balançou as redes merengues. Para completar a bela atuação, nos acréscimos, deu a assistência para o belo gol de cobertura de Alexis Sanches.

Durante a sua passagem pela Catalunha, Neymar enfrentou o Real em oito ocasiões e tem um retrospecto positivo. Foram quatro vitórias, um empate e três derrotas. Esses números, além de outros fatores, aumentam o sentimento de admiração de Vinícius Júnior e o desejo de, um dia, atuar ao lado do ídolo.

O jogo de volta entre Real Madrid e Barcelona está marcado para o dia 27 de fevereiro, no Santiago Bernabéu, em Madri. Na outra semifinal, a disputa é entre Betis e Valência. O primeiro duelo acontece na quinta, às 18h (de Brasília), em Sevilha.

Publicidade

Outros brasileiros tiveram retrospectos diversos em estreias de Superclássico

Além de Neymar, outros brasileiros também tiveram o privilégio de disputar o Superclássico da Espanha. Em 1999, Rivaldo, que, três anos depois, seria um dos responsáveis pelo pentacampeonato mundial da Seleção Canarinha, viu o compatriota Giovanni, de pênalti, marcar e ajudar para a vitória do Barcelona por 2 a 1.

Na temporada de 2007/2008, Marcelo, que, um ano antes, desembarcava no Real Madrid após deixar o Fluminense, viu Raul, Robben, Higuain e Van Nilsterooy assegurarem a goleada de 4 a 1 sobre o arquirrival.

Seis anos após, Casemiro, que também permanece no clube da capital, obteve o mesmo sucesso e saiu do gramado com uma vitória de 2 a 1.

Por outro lado, Phillipe Coutinho, Kaká, Ronaldo e Romário não tiveram a mesma sorte. O primeiro ainda conseguiu o empate. Os demais, porém, não tiveram a mesma sorte e amargaram inesquecíveis derrotas no jogo mais importante da Península Ibérica.

Leia tudo