A saída de Abel Braga do comando técnico do Flamengo segue repercutindo. Nesta quarta-feira (30), um dia depois o treinador deixar o clube, foi divulgado um áudio no qual Abel faz duras críticas à diretoria flamenguista e se queixa da interferência dos dirigentes na hora de escalar a equipe.

A grande discussão se deu pela decisão de Abel em usar time reserva contra o Fortaleza, no próximo sábado (1º), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, fato que desagradou os diretores.

Logo após a vitória por 3 a 2 diante do Athletico Paranaense, no domingo passado, no estádio do Maracanã, o treinador deu a entender que usaria um time alternativo no jogo diante do Fortaleza, e assim preservaria suas principais peças para o jogo decisivo da próxima terça (4), contra o Corinthians, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O duelo será no Maracanã e o Rubro-Negro tem a vantagem de jogar pelo empate.

A diretoria, por sua vez, não concordou e expôs publicamente o descontentamento com a decisão do treinador.

No áudio, Abel diz que “vinha segurando a onda” e que não tinha o respaldo de ninguém em nenhum momento. “Então eles estão, tipo assim, te entregam aos inimigos e você se vira”, disse. Ele se queixou ainda do fato dos dirigentes terem mostrado por meio da imprensa que não concordaram com sua escalação e bateu o pé com relação ao time que entraria em campo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Flamengo

“E eu não vou colocar o time que eles querem, vou colocar o time que eu quero”, afirmou.

Na última quarta-feira (29), dia em que se deu a saída de Abel, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, afirmou que o pedido de demissão do treinador havia se dado por motivos pessoais.

Treinador diz não suportar traição

Também na quarta-feira (29), Abel Braga, por meio de uma nota oficial, falou sobre seu desligamento do clube, elogiou o grupo de jogadores que tinha em mãos e apontou "covardia e articulações" durante o período no Flamengo.

No texto, o treinador destacou que em toda sua carreira, seja como jogador ou técnico, sempre esteve preparado par qualquer tipo de pressão, mas que não suporta traição. "Jamais estive preparado para covardias e articulações. O que não suporto é traição", disse.

Abel também reclamou que em nenhum momento sentiu que tinha o respaldo da diretoria e em certos momentos até mesmo se via isolado.

A saída de Abel foi decidida em conversa por telefone com a cúpula do clube, mas só se tornou oficial após ele se despedir do elenco.

Agora o Flamengo está em busca de um novo treinador. O mais cotado para assumir o cargo é o português Jorge Jesus, com passagens por Sporting e Benfica. Caso o acerto seja firmado, ele assumirá o time somente após a Copa América.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo