A saída de Abel Braga do comando técnico do Flamengo segue repercutindo. Nesta quarta-feira (30), um dia depois o treinador deixar o clube, foi divulgado um áudio no qual Abel faz duras críticas à diretoria flamenguista e se queixa da interferência dos dirigentes na hora de escalar a equipe.

A grande discussão se deu pela decisão de Abel em usar time reserva contra o Fortaleza, no próximo sábado (1º), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, fato que desagradou os diretores.

Logo após a vitória por 3 a 2 diante do Athletico Paranaense, no domingo passado, no estádio do Maracanã, o treinador deu a entender que usaria um time alternativo no jogo diante do Fortaleza, e assim preservaria suas principais peças para o jogo decisivo da próxima terça (4), contra o Corinthians, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

O duelo será no Maracanã e o Rubro-Negro tem a vantagem de jogar pelo empate. A diretoria, por sua vez, não concordou e expôs publicamente o descontentamento com a decisão do treinador.

No áudio, Abel diz que “vinha segurando a onda” e que não tinha o respaldo de ninguém em nenhum momento. “Então eles estão, tipo assim, te entregam aos inimigos e você se vira”, disse. Ele se queixou ainda do fato dos dirigentes terem mostrado por meio da imprensa que não concordaram com sua escalação e bateu o pé com relação ao time que entraria em campo. “E eu não vou colocar o time que eles querem, vou colocar o time que eu quero”, afirmou.

Na última quarta-feira (29), dia em que se deu a saída de Abel, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, afirmou que o pedido de demissão do treinador havia se dado por motivos pessoais.

Treinador diz não suportar traição

Também na quarta-feira (29), Abel Braga, por meio de uma nota oficial, falou sobre seu desligamento do clube, elogiou o grupo de jogadores que tinha em mãos e apontou "covardia e articulações" durante o período no Flamengo.

No texto, o treinador destacou que em toda sua carreira, seja como jogador ou técnico, sempre esteve preparado par qualquer tipo de pressão, mas que não suporta traição.

"Jamais estive preparado para covardias e articulações. O que não suporto é traição", disse.

Abel também reclamou que em nenhum momento sentiu que tinha o respaldo da diretoria e em certos momentos até mesmo se via isolado.

A saída de Abel foi decidida em conversa por telefone com a cúpula do clube, mas só se tornou oficial após ele se despedir do elenco.

Agora o Flamengo está em busca de um novo treinador. O mais cotado para assumir o cargo é o português Jorge Jesus, com passagens por Sporting e Benfica. Caso o acerto seja firmado, ele assumirá o time somente após a Copa América.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Flamengo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!