Na vitória de 3 a 1 do Fluminense sobre o Grêmio Osasco em jogo-treino da última quarta-feira (3), Miguel marcou dois gols, sendo um deles em bela cobrança de falta. Nesta sexta-feira (5), o jovem meia de 16 anos, revelado no próprio Tricolor das Laranjeiras, concedeu entrevista coletiva e, ao falar do lance, disse que se inspira no ex-apoiador italiano Andrea Pirlo, de 40 anos, e, desde a categoria de base, treina bastante.

"Sempre foi uma característica minha bater falta, escanteio. Eu gosto muito do Pirlo. A batida dele sempre foi diferenciada", disse.

Após agradar ao técnico Fernando Diniz, Miguel subiu direto do Sub-17 para os profissionais.

A sua estreia oficial aconteceu no empate de 2 a 2 com o Cruzeiro, no Mineirão, pela Copa do Brasil. Na ocasião, ele entrou no segundo tempo e participou da jogada que resultou no gol de bicicleta marcado por João Pedro, outra promessa vinda das categorias inferiores do Fluminense. Questionado sobre o que pensa sobre o futuro, o meia disse pensar um dia em jogar no Futebol europeu, mas antes disso quer fazer história nas Laranjeiras.

"Todos nós planejamos isso para nossa carreira: primeiro fazer história no clube que nos revelou, que nos projetou para o futebol, e depois pensar em Europa, até porque o Fluminense é um clube que sempre nos acolheu e nos ajudou a chegar até o futebol profissional", resumiu.

Enaltecimento aos companheiros mais experientes

Mesmo sendo o foco das atenções no momento, Miguel fez questão de dividir os méritos com os companheiros de time, especialmente aqueles mais experientes.

"São profissionais sérios, que nos mostram o caminho correto e, além de tudo, não nos deixar influenciar. Sempre tem alguém que gosta de chamar para uma saidinha, uma balada.

É só ter foco e cuidar que está tudo certo", explicou Miguel.

No início da temporada, o ainda presidente Pedro Abad, mesmo com o clube atravessando enormes dificuldades financeiras, investiu e trouxe Paulo Henrique Ganso. Para Miguel, é um prazer jogar ao lado do atual camisa 10 do Fluminense, que também o auxilia bastante no seu início de carreira profissional.

"Quando eu tinha uns 8, 9 anos ainda, ele já estava brilhando, era considerado um dos mais promissores do país. Ele sempre me aconselha, pega no meu pé, fala o que é melhor e tal.. Tem me ajudado bastante nesse quesito", revela.

Miguel também agradece ao apoio dos familiares

Para chegar ao sucesso, Miguel não se limitou a dentro de campo. Segundo o meia, tudo, o que vem acontecendo, tem a colaboração dos familiares.

"Eles sempre falam para eu ficar com os pés no chão, para não deixar as coisas subirem a cabeça, porque no mundo do futebol as coisas podem mudar muito rápido", encerrou.

Para premiar o bom momento, Miguel acabou sendo convocado para amistosos da Seleção Brasileira Sub-17. Contando com a sua nova joia da base, o Fluminense se prepara para a reabertura do Campeonato Brasileiro.

Na segunda, dia 15 de julho, às 20h (de Brasília), o Tricolor, no Maracanã, recebe o Ceará.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!