É bem provável que, por conta da pandemia de coronavírus, o Campeonato Carioca tenha, em seu recomeço partidas disputadas sem a presença da torcida e, pensando na redução dos futuros prejuízos financeiros, o Fluminense abandone o Maracanã e passe a mandar os seus jogos no estádio das Laranjeiras. Em entrevista concedida à Rede Bandeirantes nesta segunda-feira, o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), Rubens Lopes, disse que, observando-se todos os requisitos de segurança, o local está apto para ser utilizado pelo Tricolor.

"Se os clubes decidirem isso, não vejo nenhum obstáculo.

Quando voltarem as atividades, elas devem acontecer no melhor local que ofereça segurança aos atletas. Isso é uma decisão dos clubes. Não tem nenhum obstáculo", explicou o dirigente.

Caso seja realmente confirmado, o Estádio das Laranjeiras, batizado de Manoel Schwartz (homenagem ao presidente que levou o clube ao tricampeonato carioca de 1983 a 1985 e ao título do Campeonato Brasileiro) e que foi construío para sediar o Campeonato Sul-Americano de Seleções de 1919, voltará a ter uma partida do futebol profissional do Fluminense depois de quase vinte anos. A última vez foi pela penúltima rodada da fase de classificação do Estadual de 2003. Naquela ocasião, o Tricolor do então técnico Renato Gaúcho, com dois gols de Fábio Bala e um de Carlos Alberto, esse em cobrança de pênalti, ficou no empate de 3 a 3 diante do Americano, de Campos dos Goytacazes.

Em seu campo. a agremiação verde, branco e grená disputou, ao longo da história, somando-se todas as competições, 859 partidas, obtendo 539 vitórias e 163 empates, além de sofrer 157 derrotas. Nesses confrontos, balançou as redes adversárias em 2.142 ocasiões e sofreu 1.034 gols.

Atualmente, o Estádio das Laranjeiras recebe partidas do Flu nas categorias de base e nos torneios do futebol feminino.

Flu quer garantias para voltar aos gramados

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) planeja o recomeço do Campeonato Carioca de 2020 na primeira quinzena de maio com os portões fechados. O Fluminense, porém, quer garantias para colocar a sua equipe novamente dentro de campo.

O Tricolor disse que só voltará a atuar se a Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde, os governos estadual e federal, a Fifa e a CBF autorizarem o retorno das atividades e isentarem os clubes de responsabilidade por eventuais casos de contaminação pelo coronavírus.

Além dos portões fechados, a ideia da FERJ é tomar outras medidas de segurança contra o Coronavírus. Uma delas é submeter jogadores e membros da comissões técnicas das equipes participantes a testes para saberem se estão ou não contaminados pela COVID-19 (nome científico da doença). O Flu não se opõe a nenhuma das intenções da entidade, mas quer que as avaliações clínicas sejam de iniciativa pública, não privada.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Fluminense
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!