O Futebol mundial foi impactado nesta quarta-feira (25) com a notícia da morte de um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos. Ídolo argentino, Diego Armando Maradona não resistiu a uma parada cardiorrespiratória. Ele estava em sua casa, em Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires, e dias atrás havia sido submetido a uma cirurgia na cabeça.

No último dia 23 de outubro ele havia recebido diversas homenagens por conta dos seus 60 anos de idade. Mas dias depois deixou seus fãs apreensivos quando, após ser hospitalizado, foi descoberto uma pequena hemorragia no cérebro. Ele precisou ser submetido uma cirurgia para drená-la e, depois de alguns dias internado, voltou para casa no último dia 12.

No fim desta manhã, ele sofreu um mal súbito e ambulâncias foram até sua casa, porém o astro argentino não resistiu.

Atualmente ele vinha treinando a equipe do Gimnasia y Esgrima La Plata, mas precisou se afastar de suas funções devido aos problemas de saúde.

Genialidade e polêmicas

Campeão do mundo em 1986 com a seleção da Argentina e com quatro Copas do Mundo em seu currículo, Maradona teve carreira tão genial quanto polêmica.

Ele iniciou sua carreira em 1976, jogando pelo Argentinos Juniors, time onde ficou até 1981, até se transferir para o Boca Junios, onde ficou uma temporada. De La Bombonera foi jogar no Barcelona, da Espanha, de onde saiu em 1984 para se consagrar no Napoli, onde, ao lado do brasileiro Careca, foi campeão italiano.

Em 1992 voltou para a Espanha, onde teve uma rápida passagem pelo Sevilla.

Maradona retornou ao futebol argentino em 1993, para defender o Newell's Old Boys. Em 1995 iniciou sua segunda passagem pelo Boca, onde encerrou sua carreira dois anos mais tarde.

Pela seleção argentina jogou 91 partidas e marcou 34 gols. Desses, oito foram em copas do mundo, sendo que dois entraram para a história, ambos marcados contra a Inglaterra, mas por motivos antagônicos.

Um deles foi marcado com um sutil toque de mão, do qual mais tarde ele chegou a dizer que era a "mão de Deus". O outro, ele demostrou toda sua genialidade ao arrancar do meio de campo e deixar para trás metade do time inglês.

Quatro anos depois, teve a chance de ser o primeiro capitão a erguer duas copas do mundo, quando a Argentina novamente esteve na decisão, mas desta vez a Alemanha acabou se tornando tricampeã.

Naquele mundial o Brasil acabou sendo eliminado pelos hermanos. A jogada do único gol da partida saiu dos pés de Maradona.

Enfrentando problemas com drogas, Maradona também colecionou polêmicas e por duas vezes pegou 15 meses de suspensão do futebol por doping. Na segunda vez foi após um jogo da Copa de 1994, quando ele anotou um dos gols na vitória da Argentina por 4 a 0 sobre a Grécia.

Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!