Foram 10 lesões sérias que levaram Neymar a ficar de fora de pelos menos 64 partidas do PSG desde que o jogador brasileiro chegou ao clube francês em 2017, quando foi contratado pelo valor exorbitante de 222 milhões de euros, o que dá quase um bilhão e meio em reais. O PSG não contou com o atacante nem na metade das partidas que disputou desde que Neymar chegou ao clube.

A imprensa francesa resolveu investigar detalhadamente a nova contusão sofrida pelo atleta, que aconteceu no músculo adutor da coxa esquerda, e que provavelmente vai fazer com que o jogador de futebol fique sem jogar pelas próximas cinco partidas pelo PSG.

Champions League

Na terça-feira (16), o clube francês tem um compromisso importantíssimo, o jogo contra o Barcelona, na Catalunha, a primeira partida das oitavas de final da Champions League. Nesta partida, Neymar não terá condições de entrar em campo.

O PSG vive a incerteza se o atleta conseguirá estar no Parque dos Príncipes para participar da partida decisiva, no jogo de volta que ocorrerá no dia 10 de março, em Paris, e que pode culminar com a eliminação ou classificação da equipe francesa na competição mais desejada pelo time.

Um basta

Neymar e seu pai, que é também seu empresário, já não contam mais com a boa vontade da imprensa francesa, que não aceita mais os argumentos de pai e filho, que dizem que o atacante sofre perseguição de jogadores violentos, técnicos das outras equipes e juízes coniventes com a violência.

A imprensa tem feito duros questionamentos sobre o comportamento do jogador fora de campo. Tem se debatido o desgaste causado pelas festanças do atleta, a incompatibilidade de baladas que viram a noite com a vida regrada que se espera que um atleta de alto desempenho como Neymar. Inevitavelmente surgiram as comparações com os craques Messi e Cristiano Ronaldo e o respeito que os dois têm pela profissão, o que envolve atitudes comedidas fora dos treinos e dos jogos e respeito pelo corpo.

O L’Equipe afirmou que Messi e Cristiano Ronaldo não têm o hábito de celebrarem seus aniversários com grandes festanças, por exemplo. Na próxima semana, os dois ganhadores da Bola de Ouro irão defender seus times na Champions League, coisa que Neymar não poderá fazer, criticou a publicação francesa.

A publicação ainda ressaltou que, como já havia acontecido em 2018 e 2019 na Champions League, Neymar novamente não estará no jogo de ida contra o Barcelona.

"O atleta acredita que seu trabalho está finalizado quando sai do Parque dos Príncipes ou do Camp des Loges assim que terminam as partidas e treinos", lamentou o L'Equipe em publicação.

Em 2016, na disputa das Olimpíadas, assim que os jogos se encerravam, Neymar organizava com a conivência do técnico da seleção na época, Rogério Micale, farras que só acabavam nas manhãs dos dias posteriores. Em coletiva de imprensa da Seleção Brasileira, no mesmo 2016, o jornalista Silvio Barsetti perguntou sobre sua vida fora dos campos. Sem disfarçar a irritação, Neymar respondeu que as pessoas têm que cobrá-lo pelo que ele faz dentro de campo e que “minhas coisas particulares são minhas”. Ele ainda afirmou que tem amigos, uma família e questionou o motivo de que ele não poderia frequentar baladas.

E respondeu que pode e que irá e que não vê nenhum problema nisso, pois se trata de sua vida particular.

Seja no PSG ou na seleção brasileira, nos treinos, Neymar é o primeiro a chegar e o último a sair, ele é muito dedicado. Porém, não deixa de aproveitar cada minuto de suas folgas. O jogador fez questão de levar para a Europa seus melhores amigos.

De acordo com o jornal da Catalunha Mundo Deportivo, o craque dá uma “ajuda” no valor de 11 mil euros, o equivalente a R$ 71 mil, aos amigos mais íntimos. Com esses amigos, o jogador frequenta ou ainda organiza baladas em seus dias de folga. Enquanto os amigos de Neymar podem virar a noite em baladas e farras, Neymar não pode ser dar esse direito, pois é um atleta de alto nível.

Assim que foi anunciada a nova contusão do jogador, que resultou com sua ausência na partida contra o Barcelona, o respeitado jornal Le Parisien fez uma entrevista com o fisiologista Jean-Bernard Fabre, o médico foi direto ao ponto.

"É uma loucura que isso tenha ocorrido”, disse Fabre sobre a contusão do jogador brasileiro.

O fisiologista explicou que quando a contusão ocorre em um ano, pode-se afirmar que se trata de azar, porém ela acontece todos os anos no caso de Neymar. Não existe segredo no alto rendimento. Pode-se ter azar, mas a experiência comprova que para todos os atletas, independentemente do esporte, quem segue determinadas diretrizes não sofre lesões. Jean-Bernard Fabre deu como exemplo o jogador de handebol Nikola Karabatic que não sofre de lesões há muito tempo, pois tem um estilo de vida saudável, o fisiologista ainda citou os atletas do tênis Roger Federer e Rafael Nadal.

Siga a página Neymar
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!