De acordo com informações divulgadas pelos sites Daily Record e Mirror, uma mulher está sendo julgada pelas autoridades escocesas depois de ter sido flagrada em posse de material pornográfico em é vista mantendo uma relação sexual com seu cachorro de estimação – ato sórdido no qual foi usado chantilly.

Os investigadores puderam identificar Suzy Cairns, de 39 anos de idade, depois que a Unidade de Crime Cibernético da Polícia da Escócia (Police Scotland’s Cyber Crime Unit em inglês) interceptou tráfego de internet indicando que o IP – sigla para Internet Protocol, um número que identifica cada dispositivo conectado em uma rede – da acusada havia sido usado para acessar imagens de conteúdo sexual envolvendo a participação de crianças.

Em março do ano passado, os oficiais conseguiram uma autorização da Justiça para realizar buscas na casa de Cairns, situada no município de Livingston, em West Lothian. Depois de invadir o local, os policiais obtiveram acesso ao telefone celular da mulher e encontraram o vídeo no qual ela mantinha relação sexual com seu cão da raça labrador – o animal estava na residência no momento em que as autoridades confrontaram a acusada.

Além disso, havia no smartphone uma quantidade considerável de imagens em que menores de idade eram vistos sendo abusados.

Reconhecendo a culpa

As sessões que julgam os incidentes envolvendo Suzy Cairns estão acontecendo na Corte do Xerife de Livingston (Livingston Sheriff Court), e ré já se declarou culpada por duas acusações relativas a infrações que ocorreram entre fevereiro de 2016 e abril de 2017, ambas envolvendo a posse de material pornográfico ilegal.

O promotor do caso, Jim Robertson, revelou ao júri que o filme encontrado no celular de Cairns tem todas as indicações de que foi autogerado – ou seja, a própria mulher realizou a mórbida filmagem.

No que diz respeito ao conteúdo de pedofilia, no Reino Unido as imagens impróprias envolvendo crianças são classificadas em três categorias diferentes, que recebem os nomes "A", "B" e "C" – sendo que no nível hierárquico "A" estão enquadradas as fotos mais explícitas, as quais envolvem, por exemplo, atividade sexual penetrante e bestialidade –, e segundo Robertson, havia no smartphone da mulher um vídeo de pedofilia da categoria "A" (além da filmagem envolvendo o cachorro), três imagens da categoria "B" (relação sexual não-penetrativa) e 161 fotografias da categoria "C".

A sentença condenando Suzy Cairns está prevista para ser proclamada no dia nove de fevereiro.

Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!