A situação da Venezuela alcançou um novo episódio recentemente, a partir da disputa de poder no país, entre o ditador Nicolás Maduro e o presidente encarregado, que é reconhecido pela maior parte da comunidade internacional, Juan Guaidó. Vale ressaltar que a Venezuela atravessa uma séria crise econômica e política, com altos índices de pobreza e miséria.

Para se denotar quão grave se encontra a situação do país, a crise energética também faz parte da realidade do país vizinho ao Brasil.

Publicidade
Publicidade

Crise energética e apagão durante coletiva de Maduro

Na última sexta-feira (08), mais um exemplo de que a situação energética é crítica no país vizinho, ocorreu durante uma coletiva do presidente Nicolás Maduro. Durante um pronunciamento em transmissão às emissoras de televisão venezuelanas, uma falha elétrica interrompeu a coletiva no palácio Miraflores, em Caracas, capital do país.

Durante a transmissão, o ditador venezuelano comentava a respeito da ajuda humanitária ao país, quando, de repente, a sala ficou literalmente às escuras.

Publicidade

A emissora de televisão VTV chegou a cortar a transmissão ao vivo. Entretanto, a falha elétrica ocorrida acabou afetando diversas partes da cidade de Caracas e do estado de Miranda. A Corporação Elétrica Nacional, que é o órgão responsável pelo sistema de energia venezuelano, não se manifestou para informar quais teriam sido os motivos que ocasionaram a falha no sistema de energia do país.

No entanto, o Governo venezuelano assegura que não estaria enfrentando uma crise energética.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Porém, essa não teria sido a primeira vez que uma falha elétrica tivesse interrompido um discurso de Nicolás Maduro. Vale ressaltar que os apagões acabaram se tornando um problema comum em toda a Venezuela.

A própria mídia local venezuelana reportou que, no mês passado, dois pacientes faleceram em um hospital da capital Caracas, devido à falta de energia. Na ocasião, ambos se encontram em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e os aparelhos médicos de caráter vital para a manutenção da sobrevivência dos pacientes, se desligaram durante um longo apagão no país.

A grave crise venezuelana já acarretou, inclusive, reuniões no Conselho de Segurança das Nações Unidas e também, na OEA (Organização dos Estados Americanos).

Vários países do mundo buscam uma solução conciliatória para que possam frear os conflitos internos. Entretanto, apesar de Nicolás Maduro ter o apoio da maior parte das Forças Armadas do país, o mesmo vem perdendo apoios nesse segmento da sociedade, enquanto o governo provisório do presidente encarregado, do oposicionista Juan Guaidó, vem assumindo papel de protagonismo perante à comunidade internacional.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo