Nesta manhã de sábado (16), o australiano Brenton Harrison Tarrant (28), foi formalmente acusado de efetuar tiros e matar 49 islâmicos e ferir outras 48 pessoas numa invasão de duas mesquitas nesta sexta-feira (15).

Na primeira audiência, o juiz Paul Kellar acusou o australiano de matar um homem que não teve a identidade revelada, para preservação e segurança da sua família. Uma nova audiência no Supremo Tribunal no Distrito de Christchurch será realizada no dia 5 de abril.

Até ser julgado, ele ficará preso sem direito nenhum de fiança.

Durante a audiência, que não foi aberta ao público, o homem estava descalço e algemado, dois policiais estavam o acompanhando e ele permaneceu em silêncio por toda a audiência. De acordo com informações da imprensa, Tarrant olhou muitas vezes para os jornalistas que tiveram a autorização para ver o andamento do julgamento. Enquanto era filmado e fotografado, o homem sorria para as câmeras.

Segundo informação de um jornal da Nova Zelândia, o matador fez o gesto muito conhecido da supremacia branca com as mãos enquanto os fotógrafos iam fotografando ele. O juiz fez uma determinação que todas as imagens do assassino seriam distorcidas para não ser identificado.

Os ataques

O assassino, que transmitiu a ação no Facebook, teve como alvos dos ataques duas mesquitas: Masjid Al Noor, que fica ao lado do Parque Hagley, e a outra, foi a Linwood, que no momento do ataque estava com 300 pessoas reunidas para fazerem a tradicional oração do meio-dia, nesta sexta-feira (15).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Jair Bolsonaro

Das 49 pessoas mortas, 41 eram da mesquita de Masjid Al Noor e sete pessoas eram da mesquita de Linwood, que apenas uma foi socorrida com vida, porém, não aguentou os ferimentos. Entre os feridos, encontram-se adultos e crianças.

De acordo com informações do governo, 12 desses feridos estão em estado bastante grave e precisam operar por causa dos ferimentos.

Segundo informações do portal G1, o assassino tinha uma câmera acoplada no capacete que o possibilitou transmitir o massacre em tempo real pelo Facebook.

No vídeo, é possível ver que o assassino atirou em todos que viraram, entre crianças e adultos, enquanto caminhava. Segundo as testemunhas, além da câmera do capacete, o terrorista usava um óculos estilo militar, e suas características físicas eram: branco, loiro e tinha a aparência magra.

As contas tanto do Facebook quanto do Instagram do assassino foram apagadas pela empresa. De acordo com o Facebook, a companhia está averiguando como apagar todas as copias do vídeo do massacre.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo