Shantha Mayadunne era uma das chefs de cozinha mais famosas do Sri Lanka e está, juntamente com sua família, entre as vítimas dos atentados que tomaram conta do país na celebração da Páscoa ocorrida neste domingo (21). Na série de ataques coordenados, igrejas e hotéis de luxo foram alvos de criminosos onde 290 pessoas acabaram morrendo com as explosões.

Publicidade
Publicidade

A cozinheira era famosa e participava de vários programas de televisão. Uma selfie foi tirada momentos antes dela falecer no Hotel Shangri-La, e publicada pela filha Nisangra. O local foi alvo do atentado e ficou totalmente destruído. Na legenda da foto, a filha escreveu “Easter breakfast with family”, que significa: “Café da manhã de Páscoa com a família”.

Shantha foi a primeira chef do Sri Lanka que conduziu um programa de culinária na televisão e conseguiu muitos fãs e seguidores. Ela escreveu dois livros e ganhou vários prêmios da categoria de gastronomia pelos seus talentos na condução de pratos maravilhosos.

Chef Shantha Mayadunne é uma das vítimas dos ataques no Sri Lanka. (Arquivo Blasting News)
Chef Shantha Mayadunne é uma das vítimas dos ataques no Sri Lanka. (Arquivo Blasting News)

Explosões

Seis explosões ocorreram em três hotéis de luxo e em três igrejas na manhã deste último domingo (21). Todas as explosões foram coordenadas para que o estrago pudesse ser grande e causasse a morte de várias pessoas ao mesmo tempo.

Algumas horas mais tarde, mais duas explosões aconteceram. Um homem-bomba teria matado três policiais em um prédio e outro se explodiu em uma casa de hóspedes. Conforme as informações divulgadas pelo Jornal O Globo, a Polícia acredita que eles estariam tentando fugir após praticarem os atentados.

Publicidade

As autoridades do Sri Lanka condenaram os ataques e o ministro da Defesa, Ruwan Wijewardene, afirmou que os culpados por esses atentados são extremistas religiosos. Há dez dias do ataque, a polícia do país havia alertado sobre um suposto ataque terrorista que poderia acontecer.

Responsáveis pelo ataque

O governo do Sri Lanka está culpando o grupo Jihadista NTJ (National Thowheeth Jama'ath, ou Organização Nacional Monoteísta) como responsáveis pelos ataques.

Conforme informações do serviço de inteligência da polícia local e divulgadas pela Folha de S.Paulo, organizações internacionais terroristas estariam por trás desses atentados. Outros países também investigarão os crimes.

Nesta segunda-feira (22), foi decretado pelo governo do Sri Lanka estado de emergência e atenção total para possíveis novos ataques. No momento, 24 pessoas estão detidas suspeitas de participarem dos atos criminosos. A polícia colherá o depoimento delas para saber as motivações dos crimes.

Publicidade

Há dez anos, atos tão violentos como esses não aconteciam no país. Além dos 290 mortos, 500 pessoas estão feridas. Uma nova explosão aconteceu nesta segunda em uma van que estava perto de uma igreja. De acordo com informações da agência Reuters, a explosão ocorreu no momento em que agentes de segurança tentavam desmarcar as bombas. Ainda não há informações de vítimas.

Leia tudo