Nakubonga Qampi mora na África do Sul e ficou conhecida como ‘mãe leoa’ depois de ter assassinado um dos homens que estuprou sua filha. Nakubonga foi acusada por homicídio, porém a população clamou para que ela não fosse condenada. Diante da imensa manifestação popular o processo foi arquivado e Qampi conseguiu se dedicar à ajudar sua filha a se recuperar desse trauma.

Entenda o caso

O telefone de Nokubonga começou a tocar em plena madrugada e ela acordou.

Sua filha estava sendo violentada por três homens conhecidos. A jovem estava apenas a 500 metros de distância de sua residência.

No mesmo instante Qampi decidiu ligar para as autoridades em busca de ajuda. Porém, o número de emergência chamou até a ligação cair. Nokubonga não foi atendida pela Polícia. Ela também tinha conhecimento de que, mesmo se a ligação fosse atendida, demoraria um pouco até que as autoridades conseguissem chegar em sua aldeia, localizada em em uma das colinas da província de Cabo Oriental.

Foi então que ela entendeu que era a única pessoa que tinha como salvar sua filha. Ela revelou que no momento estava com muito medo, mas que como era sua filha, sentiu-se obrigada a agir. A mãe da vítima ficou desesperada com a possibilidade de os agressores tirarem a vida de sua filha após o estupro. O medo se deve ao fato de que os agressores eram conhecidos e, por isso, eles poderiam matar a filha dela para não serem apontados como estupradores.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Nokubonga pegou uma faca em sua casa e usou a lanterna do celular para iluminar o caminho até o local em que a violência estava acontecendo. Quando se aproximou, percebeu que sua filha gritava de forma desesperadora. Ela entrou na casa para qual sua filha havia sido levada e, quando chegou no quarto, presenciou sua filha ser violentada sexualmente.

Com muito medo, ela ficou parada na porta. Quando questionou o que estavam fazendo com a filha dela, os rapazes foram em sua direção. A mãe relata que teve uma reação automática de autodefesa, porém não revelou detalhes do que teria acontecido após isso.

O julgamento

O juiz Mbulelo Jolwana foi o responsável por realizar a audiência. O juiz disse que Nokubonga ficou de fato muito transtornada. Ele considerou que, no momento em que a mãe da vítima presenciou a cena em que um dos agressores estava estuprando sua filha, os outros dois já estavam com as calças abaixadas até os tornozelos aguardando a vez de cometer a violência sexual. Por isso Qampi ficou abalada.

O juiz ainda disse que o rosto da mãe da vítima ficou tomado por tristeza e dor ao ter que recontar toda a história. O juiz entendeu que ficou explicado que um dos homens partiu para cima de Qampi. Foi nesse momento que ela começou a esfaqueá-lo e, então, os outros agressores fugiram do local. Um dos rapazes morreu no local e os outros dois, embora tenham conseguido fugir, ficaram feridos. O Juiz decidiu arquivar o caso e a mãe da vítima foi inocentada de todas as acusações.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo