Na noite mais fria do ano em Buenos Aires, o River Plate realizou uma iniciativa muito bonita e inspiradora. O clube está fazendo uma campanha para arrecadar agasalhos e cobertores para serem doados a moradores de rua. Além disso, eles abriram as portas do Estádio Monumental de Nuñez para aqueles que não têm casa pudessem se abrigar durante a noite.

O clube anunciou pelo Twitter que na quarta-feira (3), a partir das 18h, o estádio Monumental estaria aberto por toda a noite até a manhã desta quinta-feira (4) para os moradores de rua receberem cobertores e abrigo.

A organização comunitária Rede Solidária, que ajuda na coordenação das doações, conduz a campanha Frio Zero há sete anos e neste ano o objetivo é ajudar pessoas que estão em situação de rua.

A organização agora pode contar com o clube argentino para abrir as portas do estádio para que as pessoas não morram de frio. Martín Giovio, membro da organização, destaca que o River está fazendo um gesto gigantesco abrindo as portas de sua casa para as pessoas, fazendo um gesto tão simples e ao mesmo tempo muito complexo, pois as pessoas, além de dormir, poderão jantar.

Inverno

Com a chegada do frio, a preocupação com os moradores de rua aumenta, pois o crescimento da pobreza aumentou por conta da grave crise econômica que Argentina vem passando. De acordo com a Rede Solidária, quatro pessoas teriam morrido na região central do país.

Em abril deste ano, a repórter Sylvia Colombo, do jornal Folha de S.Paulo, relatou o susto que levou ao abrir um contêiner de lixo na Argentina e encontrar uma pessoa lá dentro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

Era um rapaz de 26 anos, desempregado, que separava alguns itens do lixo. Segundo ela, as cenas são muito comuns no país, além da movimentação próxima de supermercados para buscar algo que alimente a família.

Com aumento da pobreza e do desemprego aumentou o número de famílias morando nas ruas. Segundo o Instituto Nacional de Estatística e Censo (Indec) o índice de pobreza na Argentina atingiu um terço da população urbana, 8,9 milhões de pessoas, em 2018.

Grande parte dos argentinos enfrenta dificuldades para se sustentar. Com a inflação alta, o índice de preços ao consumidor acumulou alta de 47,6 em 2018, maior avanço em 27 anos. E com a queda de 2,5 % do Produto Interno Bruto (PIB), complica ainda mais a situação das famílias no país.

O Serviço Nacional Meteorológico alertou a população argentina que o frio fará que a temperatura caia para níveis muito baixos nos próximos dias. De acordo com o site Meteored nesta madrugada de quinta-feira (4) foi registrado a temperatura de 3° C, com sensação térmica de -1° C.

Macri

No entanto, os argentinos podem torcer para que as coisas melhorem, pois, a economia deu uma trégua ao governo de Mauricio Macri. O peso argentino está calmo em relação ao dólar, a inflação sobe abaixo de 3% por mês e a atividade econômica deixou de cair.

Isso se deve ao pedido que o governo fez ao Fundo Monetário Internacional, que autorizou o Banco Central argentino a utilizar os dólares do resgate financeiro para impedir a queda da moeda local.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo