O Titanic está de volta! Quer dizer, ao menos suas imagens. Isso porque uma expedição conseguiu algo que parecia ser um pouco distante: imagens em alta resolução do navio que afundou no longínquo ano de 1911, e ainda reside no fundo do Oceano Atlântico.

A embarcação que levava uma quantidade enorme de pessoas das mais diferentes classes sociais saía da Inglaterra com destino aos Estados Unidos, mais especificamente a cidade de Nova York.

Contudo, um grande iceberg acabou com a viagem e transformou o navio em uma das histórias mais marcantes do século XX.

O navio ainda viraria palco de inúmeros filmes, mas foi o de James Cameron, em 1997, que emplacou para sempre a história do navio que nunca chegou ao seu destino. Hoje, ele ainda se encontra no fundo do Oceano Atlântico, mas expedições organizadas por cientistas que se dedicam a estudar o navio seguem acompanhando o gigante no fundo do mar.

Uma dessas expedições, inclusive, captou imagens incríveis do navio no fundo do oceano. Sob alguns restos de seu resistente casco, o Titanic ainda sobrevive, apesar da deterioração que os anos (e o próprio mar) lhe causaram. A última "visita" ao Titanic trouxe imagens espetaculares do navio em alta definição pela primeira vez.

Imagens em 4K do Titanic

Imagens reveladoras do Titanic foram realizadas ainda no início do mês de agosto, durante uma expedição pelos mares do Atlântico.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades Tecnologia

As imagens captaram os restos deteriorados do transatlântico pela primeira vez em 4K (3840 x 2160 ou ainda 8.294.400 em uma tela).

Segundo apurado pela BBC, foram necessários cinco mergulhos para que o cinegrafista Victor Vescovo enfim captasse as filmagens em alta resolução. Estas imagens serão utilizadas em um documentário, intitulado "Atlantic Productions", que ainda não tem data anunciada para lançar.

Confira as imagens em 4K do Titanic:

Os restos do transatlântico, segundo expedição, estão a 645 quilômetros de distância da costa canadense e a quase quatro mil metros de profundidade no Oceano Atlântico. As imagens são definitivamente impressionantes pela qualidade apresentada e pela imensidão de detalhes disponibilizadas. A alta resolução permite uma melhor observação, sobretudo de como o navio era em 1911.

Contudo, as filmagens captadas também mostram um transatlântico em avançado estágio de deterioração, em razão das bactérias que ali se encontram. A empresa, que se dedicou a construir o equipamento submarino capaz de chegar até o local profundo do oceano, emitiu um comunicado a respeito do material coletado.

De acordo com a Triton Submarines, as imagens captadas auxiliarão na avaliação da condição do navio atualmente, e será possível projetar o seu futuro no fundo do mar, graças a alta qualidade das mesmas.

Além disso, utilizando realidade aumentada e realidade virtual, cientistas serão capazes de recriar o transatlântico para estudo mais aprofundado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo