O medo de uma possível guerra entre o Estados Unidos e o Irã obteve grande repercussão em jornais e redes sociais depois que o chefe da força Quds do Irã, o general Qassim Soleimani, foi executado nesta quinta-feira (2) em um bombardeio americano ao aeroporto de Bagdá, no Iraque.

A eliminação do general ocorreu após vários fatos levantados que elevaram o estresse entre o Irã e o Estados Unidos. Há alguns meses, os Estados Unidos acusaram o Irã de estar envolvido em ataques que provocaram acidente entre dois navios petroleiros e também de soltar bombas em duas instalações de petróleo na Arábia Saudita.

O presidente dos EUA, Donald Trump, escreveu que “ele (Soleimani) foi responsável pela morte de milhares de pessoas”. “Embora o Irã não admita de forma adequada e concisa, Soleimani era bastante temido e odiado no país devido os seus bombardeios, prejudicando uma parte da Nação Americana. Eles(iranianos) não estão tão abalados quanto os líderes, querem que o mundo acredite. Ele deveria ter sido retirado há muito anos, só assim para evitar tantas tragédias!”, afirmou o presidente Donald Trump.

Na manhã desta sexta (3), o supremo líder do irã, Ali Khamenei, declarou que a morte do general não irá ficar impune e terá vingança. Devido a essas palavras, os países estão em alerta para uma possível declaração de guerra, mas por enquanto são apenas rumores e suposições.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta sexta que devido a este acontecimento o preço do combustível no Brasil deverá ser impactado. Afirmou também que só irá se posicionar sobre o que está acontecendo após uma reunião com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.

Reação nas redes sociais

Apesar do medo que está assolado entre as pessoas, em redes sociais os brasileiros fazem “memes” relacionados a uma possível Terceira Guerra Mundial a fim de tornar a notícia menos tensa (ou não). Os brasileiros temem sobre o conflito entre o Irã e os EUA devido ao presidente Bolsonaro apoiar Trump.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!