Na tarde deste sábado (7), um hotel na cidade de Quanzhou, na província de Fujian, na China, usado para manter em quarentena as pessoas com suspeitas de coronavírus desabou. Aproximadamente 70 pessoas ficaram presas nos escombros do prédio. As autoridades chinesas informaram que 34 pessoas já foram resgatadas, conforme informações colhidas pela Folha de S. Paulo.

O desabamento ocorreu por volta das 19h30 (horário local). O prédio Xinjia continha 80 quartos e foi transformado em local para abrigar pessoas com suspeitas de terem contraído o coronavírus Covid-19, segundo a mídia chinesa.

No internet vídeos estão circulando Weibo, redes sociais chinesa, onde mostram equipes de resgate removendo detritos e uma mulher presa sob os escombros. Também, é possível ver as ambulâncias retirando os feridos do local.

No total são 150 trabalhadores fazendo o resgate no local, conforme informação da emissora de televisão CCTV. Desde que o coronavírus se espalhou a cidade de Quanzhou já registrou 47 casos confirmados de infectados pelo Covid-19.

Ainda não se sabe o que originou o desabamento, visto que o hotel foi inaugurado há apenas dois anos.

Contudo, é comum que haja desabamentos como esse na China, pois devido ao alto crescimento econômico e populacional faz com que a vigilância se torne inadequada para suprir a demanda das construções com isso as empreiteiras fogem aos padrões de segurança mais eficazes e protetivos, de acordo com o Correio Braziliense.

Coronavírus: número de infectados e mortes

O número de infectados pelo novo coronavírus tem subido diariamente.

No momento O Globo, divulgou dados que mostram um total de mais de 100 mil afetados pelo surto. Sendo ao todo 90 países com mais de 3.400 mortes já registradas. Os números no epicentro do Covid-19, Wuhan, já notificou nos últimos dois dias mais 126 novos casos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) solicitou a todos os países incluindo os que adentraram recentemente na contabilidades dos territórios afetados (Sérvia, Vaticano, Eslováquia, Camarões, Butão, Peru, Colômbia e Togo) para que deem prioridade ao combate a pandemia que se alastra pelo globo terrestre.

Porém, as autoridades informaram que provavelmente o surto irá desaparecer nos meses de calor elevado.

Michelle Bachellet, comissária das Nações Unidas solicitou maiores cuidados com os cidadãos mais vulneráveis e total respeito aos direitos humanos. No Irã, o Governo limitou as viagens. Na Alemanha, Holanda, Reino Unido, Espanha, França dentre outros países já estão sofrendo com o surto do novo coronavírus.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Natureza
Seguir
Siga a página Ciência
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!