Nesta segunda-feira (29), o procurador de Teerã, no Irã, Ali Alqasimehr, informou que seu país emitiu um mandado de prisão contra Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, pela morte do general Qassem Soleimani e solicitou ajuda direta da Interpol para emitir um alerta vermelho, conforme divulgação da agência de notícias iraniana Fars.

A morte do general Soleimani aconteceu através de um bombardeio no aeroporto de Bagdá, capital do Iraque, em 2 de janeiro, sob as ordens de Donald Trump, conforme afirmou o Pentágono na ocasião. Segundo Alqasimehr, os mandatos acusam Trump e outros envolvidos de assassinato e terrorismo.

De acordo com o promotor, há mais 35 pessoas envolvidas, dentre elas autoridades civis e militares americanas.

O governo do Irã continuará as investigações, mesmo após a finalização do mandato presidencial de Donald Trump quando será processado, afirmou o promotor.

A beira de um conflito armado

O ataque de drones enviados pelos Estados Unidos ao general Soleimani quase desencadeia um conflito armado entre EUA e Irã. O país do Oriente Médio tempos depois atacou com mísseis norte-americanos que estavam na embaixada no Iraque. Contudo, afirmaram que não tinha ligação com o ataque feito a Soleimani.

Porém, Khamenei ressaltou que haverá "uma dura" vingança contra aqueles que mancharam suas mãos com o sangue de Soleimani e garantindo que nada deterá essa missão

A possível prisão de Donald Trump

O mandado de prisão contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump é pouco provável que aconteça, segundo a professora de Direito Internacional e Comparado da USP (Universidade de São Paulo).

A professora afirma que um chefe de estado só pode ser processo e julgado pela corte nacional e isso impossibilita que o Irã tenha seu pedido inválido.

Contudo, caso a questão que envolve diretamente o chefe de estado seja levada ao Tribunal Penal Internacional (TPI) é provável que o órgão investigue o caso e possa levar o réu a prisão.

Isso pode ocorrer devido a regramentos internacionais. Dessa forma, todo chefe de estado que venha a ser condenado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), poderá ser preso caso seja localizado em um país membro do TPI, tendo seu mandado de prisão expedido pelo próprio órgão.

Soleimani: militar poderoso no Irã

O general era responsável pelos assuntos iranianos relacionados a Guarda Revolucionária do Irã, sendo parte fundamental para o grupo aiatolá Ali Khamenei.

Era considerado um dos militares mais poderosos do país. Contudo, os Estados Unidos e Israel, tinham Soleimani como um estrategista de ações terrorista. Na ocasião, Trump se defendeu alegando que o militar organizava ações contra os norte-americanos, conforme informou a BBC, na época.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!