O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, disse que está muito preocupado com os rumos que a oposição tomará diante do governo de Jair Bolsonaro. O desabafo do petista aconteceu durante uma conversa que ele teve com a ex-presidente Dilma Rousseff e com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, nesta quinta-feira (03), dia em que elas estiveram na carceragem da PF para visitá-lo.

Na concepção de Lula, Jair Bolsonaro foi eleito não para governar, pois o propósito principal seria para destruir pessoas que são contra a sua política.

Publicidade

Segundo a avaliação de Lula, Bolsonaro quer destruir o PT e tudo o que o partido conquistou nos últimos tempos.

Um outro ponto que o líder do PT discutiu com Dilma e Gleisi é o endurecimento de Bolsonaro contra a corrupção. Para Lula, o presidente não possui medidas econômicas e está usando seu governo para focar apenas no combate à corrupção e a criminalização da esquerda. De acordo com o petista, seria uma forma de tentar preencher vazios que Bolsonaro possui no governo.

Posse de Bolsonaro

Conforme publicação do jornal O Globo, Lula comentou com seus advogados que assistiu à posse de Bolsonaro pela TV que tem em sua cela.

O petista criticou o discurso do capitão e disse que é "vazio de conteúdo".

Segundo Lula, ao mesmo tempo que Bolsonaro fala em 'desideologizar' o país, ele se utiliza de um discurso ideológico. Para o ex-presidente faltou Bolsonaro falar sobre empregos, saúde e vários outros setores que são essenciais para a vida das pessoas.

Lula também pediu para que dirigentes do partido não entrem num "bate-boca" com Bolsonaro". Ele acredita que o caminho seria um debate consistente que visa proporcionar melhorias para a população. Lula também quer que o PT divulgue todas as conquistas realizadas nos 13 anos enquanto esteve no poder.

Publicidade

Bate-boca

Mesmo Lula citando que não quer brigas de dirigentes do PT com o presidente, Fernando Haddad acabou entrando em algumas divergências com o capitão, neste sábado (05).

Haddad compartilhou uma publicação de um jornalista alemão que falava sobre o anti-intelectualismo que envolve o Brasil. Bolsonaro não gostou e revidou dizendo que Haddad era um fantoche do presidiário. Para o presidente, os petistas vivem criando histórias para tentar entender a derrota vergonhosa que tiveram nas urnas.

Haddad retrucou e disse que apenas compartilhou um post do jornalista alemão, e, com ironia, chamou Bolsonaro para um debate frente a frente.