A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, trouxe a todos um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Segundo ela, Lula orientou o partido a não "comprar brigas" e "nem bater boca" com o novo Governo de Jair Bolsonaro.

De acordo com Gleisi, o líder do PT passou vários conselhos, entretanto, o principal é focar na defesa dos direitos do povo. Gleisi visitou Lula nesta quinta-feira (03) na carceragem da PF em Curitiba.

Publicidade

Gleisi aproveitou para dizer que Lula estava muito bem fisicamente e pediu a todos os militantes um debate consciente sobre o novo governo.

De acordo com ela, o PT tem que buscar informar ao povo sobre tudo o que foi conquistado enquanto estava no poder. Seguindo as orientações de Lula, o povo precisa relembrar de tudo aquilo que o PT realizou nos 13 anos de governo. Gleisi afirmou ainda que o povo quer emprego. Para ela, essa é uma das grandes preocupações das pessoas.

Posse de Bolsonaro

Jornalistas perguntaram para a deputada federal eleita se Lula teria assistido à posse de Jair Bolsonaro.

Gleisi Hoffmann demonstrou que não sabia sobre isso. Em seguida, disse que não havia feito essa pergunta para o ex-presidente, já que, segundo ela, eles tinha muita coisa para conversar.

A ex-presidente Dilma Rousseff também foi visitar Lula. No entanto, ela não falou com os jornalistas e nem com os militantes. Gleisi informou que Dilma estava atrasada para embarcar em um voo.

Críticas

A presidente do PT fez diversas críticas em relação às primeiras medidas do novo governo. O salário mínimo, por exemplo, foi um dos pontos levados por ela com indignação.

Publicidade

Para ela, Bolsonaro poderia ter dado o aumento que já estava previsto no Orçamento, entretanto, ele optou pelo recuo.

Gleisi também apontou que Lula e o PT estão muito preocupados com as medidas econômicas que serão tomadas por Bolsonaro e com a política dos direitos humanos.

Ela reforçou o que Lula havia classificado sobre o discurso do presidente: "vazio e ideológico". Aos seus advogados, o ex-presidente havia dito que Bolsonaro fez um discurso ideológico, mesmo dizendo que iria desideologizar o país.

Lula está preso por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do triplex de Guarujá. Ele foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão.

A deputada eleita também não gostou da fala do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sobre exonerar comissionados.