O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, cedeu uma entrevista um tanto quanto reveladora à agência de notícias Bloomberg, em Davos, na Suíça, na manhã desta quarta-feira (23).

Questionado a respeito das investigações que envolvem seu filho primogênito, Flávio, senador mais votado no Rio de Janeiro em 2018, Bolsonaro disse: "se por acaso ele errou, e isso for comprovado, eu me arrependo como pai, mas ele terá que pagar o preço por essas ações que nós não podemos aceitar".

Publicidade
Publicidade

Flávio Bolsonaro tem nome ligado às investigações do caso Queiroz

Senador mais votado do Rio de Janeiro nas eleições 2018, que ocorreram no mês de outubro, Flávio Bolsonaro, atualmente com 37 anos de idade, está na mira das investigações do Ministério Público e surge como peça chave do caso Queiroz, que investiga transações bancárias feitas por Fabrício Queiroz, ex-assessor e motorista do político.

O primogênito de Jair Bolsonaro está na berlinda das investigações desde que foram divulgadas algumas movimentações financeiras um tanto atípicas em suas contas, bem como na de seu ex-assessor.

De acordo com revelações feitas pelo colunista Lauro Jardim, neste último domingo (20), as movimentações bancárias de Fabrício Queiroz chegam a R$ 7 milhões, no espaço de tempo de três anos.

Além do valor milionário transitado entre a conta do ex-assessor e motorista de Flávio para outras contas de terceiros, a situação do primogênito de Jair se agravou ainda mais após a revelação, feita pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, de que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) teria encontrado um total de 48 depósitos bancários em dinheiro em espécie, todos no valor de R$2 mil, realizados entre os meses de junho e julho de 2017 nas contas pessoais de Flávio Bolsonaro.

Publicidade

Leia tudo