Anúncio
Anúncio

Jair Bolsonaro tomou posse como presidente da República Federativa do Brasil [VIDEO]no dia 01 de janeiro e, desde então, tem se tornado um dos principais assuntos dos meios de comunicação do país.

Com diversos planos de governo e uma lista de coisas que deseja mudar desde quando atuava como deputado federal e fazia sua campanha à presidência, o novo projeto do presidente Bolsonaro [VIDEO] é atacar o domínio Globo na publicidade.

Bolsonaro fala sobre o Bônus por Veiculação

Ex-ator e deputado federal eleito pelo PSL (Partido Social Liberal) Alexandre Frota anunciou publicamente que já possui um projeto de lei pronto para acabar com o BV (Bônus por Veiculação), que pode chegar a pagar até 20% do que as empresas de comunicação pagam em cima de contratos com grandes marcas direcionados por agências de publicidade.

Adepto das redes sociais e contando com mais de nove milhões de seguidores no Instagram, o presidente do Brasil utilizou seu perfil oficial para atacar alguns meios de comunicação e expor sua opinião a respeito do BV, que para ele deveria deixar de existir.

Advertisement

Ainda sobre o bônus, Bolsonaro revelou que há pouco descobriu em que o BV consistia e que mais do que surpreso, ele ficou assustado.

Projeto de Alexandre Frota e Jair Bolsonaro pode ser barrado, de acordo com Associação Brasileira de Agências de Publicidade

O projeto em questão que visa minar o BV pode fracassar devido ao fato de atacar diretamente os veículos de comunicação em sua receita privada.

Após buscar informações mais detalhadas a respeito do projeto defendido com unhas e dentes pelo deputado federal Alexandre Frota e pelo presidente da República Jair Bolsonaro, o jornal Folha de S.Paulo, tido, ao lado do Grupo Globo, como um dos principais alvos do projeto que reduz verbas vindas do governo, publicou uma explicação dada pela Associação Brasileira de Agências de Publicidade, revelando que o projeto em questão conta com alguns equívocos e por esses motivos não deve ser aprovado.

Advertisement

Outro fator que pode embargar os planos de Frota e Bolsonaro é que o projeto tenta regular um setor que é privado.