Um vídeo tem circulado nas redes sociais e mostra um homem revoltado com o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro. Eles estão em um supermercado, e o manifestante começa a gravar com o celular e faz vários questionamentos ao ex-juiz, que se encontra em um caixa mais ao fundo das imagens.

O homem começa a pressionar Moro para saber porque ele não agia contra os supostos atos ilícitos de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro. O ex-assessor está envolvido em supostas movimentações atípicas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Publicidade

Ele foi citado em um relatório do Coaf.

O rapaz questiona por que Moro não investiga esse assunto e por que isso não entra na pauta do governo. Ele também questiona o porquê de Moro não se posicionar sobre esse caso.

Ao lado do manifestante, está Marcos Koren, um dos seguranças do ex-magistrado. Para amenizar a situação, Koren diz que não conhece Moro e que só está ali na fila para comprar uma água. Ele tenta acalmar o homem revoltado.

Em seguida, do fundo, Moro rebate os questionamentos do manifestante e diz que ele está sendo desagradável e mal-educado com todos no ambiente.

Na gravação, é possível ouvir uma mulher gritando para Moro ajudar Fortaleza e o Ceará. O estado vive uma onda de violência e o governo, por determinação do ministro, já enviou tropas federais para conter os criminosos.

Em relação ao vídeo, a assessoria do ex-juiz confirma que esse caso aconteceu, mas diz que Moro não lembra o dia exato.

Mais segurança

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (8) um documento pedindo um reforço na segurança para Moro e seus familiares.

Segundo o documento, existem situações de risco em função do cargo que ele exerce. Por essa razão, Bolsonaro quer que a Polícia Federal tome providências para garantir a segurança do ministro e de sua família.

Publicidade

Manifestações

Além de Sergio Moro, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, também foi alvo de uma manifestação no último dia 4. Ela foi questionada por um vendedor de uma loja. Por estar com uma roupa azul, o vendedor perguntou se ela seria menino ou menina.

A razão disso é porque a ministra teria dito que "meninos vestem azul e meninas vestem rosa". Muitas pessoas criticaram os dizeres dela. Artistas chegaram a ironizar o fato e publicaram imagens nas redes sociais. Por exemplo, Luciano Huck postou uma foto com camisa rosa e sua esposa Angélica estava com a camisa azul.