A crise instalada no Palácio do Planalto culminou com a demissão do secretário-geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, e teve enorme repercussão em todo o país. Nesta última terça (19), áudios de conversas entre o ex-ministro e o presidente Bolsonaro foram vazados pela revista Veja.

Entretanto, durante entrevista ao programa "Os Pingos Nos Is", da rádio Jovem Pan, Bebianno se manifestou várias vezes a respeito do episódio que envolveu ele e o presidente Jair Bolsonaro, principalmente, em se tratando dos diálogos realizados por meio de mensagens eletrônicas de áudio via WhatsApp que acabaram sendo divulgadas.

Durante a entrevista à rádio, na tarde desta terça-feira (19), o ex-secretário-geral da Presidência da República chegou a dizer que não sairia do Governo "atirando", em alusão à recente crise política instalada no governo de Jair Bolsonaro. Bebianno também se defendeu em relação às candidaturas laranjas do PSL.

Bebbiano diz que Carlos Bolsonaro coleciona inimigos

Vale ressaltar que ao ser questionado pelos jornalistas a respeito do que pensava sobre Jair Bolsonaro, ele disse ter "amor" e "afeto" pelo mandatário do país. Entretanto, já em relação ao filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, do Rio de Janeiro, Gustavo Bebianno disse que ele seria um "destruidor de reputações" e que "coleciona inimigos".

O ex-ministro Gustavo Bebianno prosseguiu afirmando que Carlos Bolsonaro teria um nível de agressividade que seria acima do normal. Bebiano argumentou ainda que durante o período em que o presidente Jair Bolsonaro esteve internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para retirada de uma bolsa de colostomia, teria sido um momento considerado "muito difícil" e muitas informações teriam chegado "truncadas ao presidente".

Gustavo Bebianno afirma que tem afeição pelo presidente Bolsonaro

Ao se referir ao governo do presidente Bolsonaro, o ex-ministro Gustavo Bebianno disse que acredita que o mandatário brasileiro seja um "patriota" e que o governo deverá ser um sucesso. Bebianno afirmou que ao conviver próximo de militares, durante seu período em que era ministro, pôde observar que os generais são pessoas muito preparadas e também patriotas e que além disso, são pessoas comprometidas com o país e democratas.

Bebianno, embora tivesse tecido de críticas o filho do presidente, Carlos, enalteceu o mandatário brasileiro, ao afirmar que Jair Bolsonaro continua sendo o seu presidente.