De acordo com aliados do Governo, Bolsonaro decidiu manter Bebianno no cargo. Segundo informações, o presidente decidiu atender aos pedidos feitos por pessoas próximas e manter Gustavo Bebianno como ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Apesar de não ter tido uma conversa direta com o ministro, Onyx Lorenzoni e Carlos Alberto Santos Cruz, colegas de Bebianno, já garantem a decisão de Bolsonaro para a situação.

Tanto Santos Cruz, como Lorenzoni, trabalharam para amenizar a crise existente entre o presidente e o ministro da Secretaria-Geral. A garantia de permanência no cargo se deu após alguns embates de Bebianno com o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, como também com o próprio presidente. Mesmo sob pressão, Bebianno respondeu que ficaria a cargo de Jair Bolsonaro a decisão de demiti-lo ou mantê-lo no cargo.

Onyx Lorenzoni e Carlos Alberto Santos Cruz foram os pilares para amenizar crise no governo

O ministro-chefe da Casa Civil e o ministro da Secretaria do Governo tomaram a iniciativa de colocar "panos quentes" na situação. Ambos foram encontrar Bebianno depois de conversa junto a Jair Bolsonaro sobre o caso. Após Carlos Bolsonaro classificar Bebianno como "mentiroso", uma crise no governo se instaurou, e, para que fosse contornada, foi necessária a ação de Onyx e Santos Cruz.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

A dupla se dirigiu até Bebianno para garantir sua permanência no governo após diálogo com o presidente. Muito além disso, tal como havia informado o jornal O Estado de S.Paulo, no último dia 7, alguns aliados do governo estariam em alerta para com a ação dos filhos do presidente, que, além de receberem proteção do pai, têm trazido consigo crises para o governo.

Rusgas de Carlos Bolsonaro e Bebianno não são de hoje

O filho de Bolsonaro tem feito constante ataques a alguns membros do governo.

Inclusive, o mesmo chegou a divulgar áudios via WhatsApp onde o próprio presidente corroboraria com os ataques de Carlos a Bebianno, a quem criticou.

Outro caso ainda envolve o fato de o ministro Bebianno ter vazado uma prova de que o vereador Carlos Bolsonaro faria parte do atual governo. O fato acabou provocando críticas até mesmo de apoiadores do presidente Bolsonaro nas mídias sociais, que condenavam o nepotismo praticado pelo presidente.

A crise atual acontece em um momento que o Planalto tenta manter ativa as negociações de pautas importantes a serem aprovadas no Legislativo, como é o caso da reforma da Previdência.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo