O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu mais uma triste notícia na sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde está preso. Um de seus Netos, Arthur Lula da Silva, de apenas 7 anos, morreu nesta sexta-feira (1º). O garoto veio a óbito vítima de meningite meningocócica.

Arthur foi levado ao Hospital Bartira, em Santo André, na região do ABC paulista, na manhã desta sexta. De acordo com o prontuário, o garotinho deu entrada no local às 7h20 com "quadro instável". Às 12h11, a notícia do falecimento foi confirmada.

De acordo com a assessoria da Rede D'Or São Luiz, da qual o hospital faz parte, o menino morreu por conta do agravamento do quadro infeccioso desta doença que ainda hoje é tão perigosa.

No caso da morte de um neto, o ex-presidente Lula tem direito a deixar a carceragem da Polícia Federal e ir ao velório. Pelo Twitter, a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, afirmou que fará o possível para que Lula se despeça do neto.

O ex-presidente cumpre pena de 12 anos e um mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex em Guarujá. Esta condenação é em segunda instância. Lula também foi condenado, em primeira instância, a 12 anos e 11 meses pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na reforma do sítio de Atibaia. Ambas as condenações são no âmbito da Lava Jato.

Em janeiro, morreu Vavá, irmão do ex-presidente, que solicitou ida ao velório, mas foi impedido pela juíza Carolina Lebbos.

Os advogados recorreram ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), mas a sentença foi mantida e o líder do PT foi impedido de se despedir do corpo do irmão.

Saiba mais sobre a meningite

A causa mais comum para a meningite é uma infecção por bactérias, fungos ou vírus. A meninge, que é uma membrana que envolve o sistema nervoso central no cérebro, fica inflamada.

Um dos sintomas mais comuns para esta doença é a rigidez da nuca.

Pessoas de qualquer idade podem sofrer com essa doença que, muitas vezes, é fatal. Em crianças e idosos a chance de infecção é maior. Nas crianças, o risco maior é nos menores de dois anos. Nesta fase da vida, o sistema imunológico ainda não está totalmente formado.

O diagnóstico preciso da meningite é feito por meio do exame de retirada de líquido da espinha, que identifica a presença das bactérias causadoras do problema. O atendimento médico imediato pode ajudar a salvar a vida do paciente acometido por esta doença.

Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!