O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabou recebendo a informação da morte do seu neto, Arthur Araújo Lula da Silva, através do chefe de custódia da Polícia Federal, Jorge Chastallo Filho. Arthur tinha sete anos de idade e faleceu vítima de uma meningite meningocócica.

O prédio da Superintendência da PF, em Curitiba, esteve nesta sexta-feira (1°) em regime de plantão. A razão seria uma dedetização que estava sendo realizada. As visitas de advogados se tornaram restritas e, por isso, o policial Chastallo Filho foi quem levou a notícia ao ex-presidente.

Os advogados do petista entraram com um pedido para que Lula pudesse ir ao velório e enterro do seu neto. A defesa assumiu o compromisso de manter em sigilo o trajeto que seria feito. Dessa forma, impediria que alguns grupos defensores de Lula protestassem ou tentassem alguma forma de impedir a ação dos agentes. Os advogados se basearam na Lei de Execução Penal, que possibilita aos presos visitarem entes queridos que faleceram.

O velório e o enterro serão no Cemitério das Colinas, em São Bernardo do Campo. Ainda está sendo decidido pelos pais da criança e pelo presidente do Instituto Lula se o velório será nesta sexta ou somente no sábado (2), para que Lula possa ter tempo de dar o adeus ao garoto.

Arthur era o quinto dos seis netos de Lula. Ele nasceu na época em que o ex-presidente estava em tratamento para curar um câncer na laringe.

Transporte de Lula

Agentes e delegados da PF já estão de prontidão em relação a uma possível saída do petista da cadeia para ir ao velório do seu neto. De acordo com informações da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, a Justiça Federal já teria enviado um comunicado para que todos ficassem em alerta com a saída do ex-presidente.

Visitas a Lula

Arthur sempre que podia ia junto com seus pais visitar o avô na Superintendência da PF. Conforme registros do local, no ano passado, Arthur chegou a passar um dia todo com o avô.

A morte do neto acontece poucos depois de o ex-presidente também perder o irmão, Genival Inácio da Silva, conhecido como Vavá.

Lula está preso desde o dia 7 de abril do ano passado após ser condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do triplex de Guarujá.

Recentemente, Lula foi condenado por mais 12 anos de prisão na ação penal do sítio de Atibaia. Segundo a denúncia, Lula teria recebido propina de empreiteiras para reforma a propriedade.