A prisão do ex-presidente Michel Temer, ocorrida na manhã desta quinta-feira (21), em São Paulo, pela força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro, segue repercutindo. Em seu desembarque no Chile, onde participa, dentre outros compromissos, de um encontro entre chefes de Estado de países sul-americanos, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre o fato ocorrido com seu antecessor.

“A Justiça nasceu para todos e cada um que responda pelos seus atos”, falou o presidente em uma rápida conversa ainda no aeroporto de Santiago.

Para Bolsonaro, “acordos políticos dizendo-se em nome da governabilidade” provocaram situações que acarretaram na detenção do ex-presidente, juntamente com o ex-governador do Rio de Janeiro, Moreira Franco.

Bolsonaro disse ainda que não é dessa forma que se governa, com esses tipos de acordos, e sim indicando pessoas competentes e sérias para integrar o governo. “É assim que fiz no meu governo, sem acordo político”, falou o atual chefe de executivo.

Na capital chilena, Bolsonaro se encontrará nesta sexta-feira (22) com presidentes de outros sete países sul-americanos, quando será discutida a criação do Prosul, um fórum de desenvolvimento econômico regional e que deverá substituir a União das Nações Sul-Americanas (Unasul), na época criado quando a América do Sul era governada por presidentes majoritariamente de esquerda, em 2008. Agora o cenário é oposto, com a maioria dos governantes sendo de direita.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Michel Temer

No sábado (23), ele se encontrará com o presidente do Chile, Sebastián Piñera.

O encontro poderá isolar ainda mais politicamente o presidente venezuelano Nicolás Maduro, uma vez que todos os chefes de Estado que estarão reconhecem o líder opositor Juan Guaidó como legítimo presidente daquele país.

Prisão de Temer

A prisão de Temer teve como base a delação do empresário José António Sobrinho, dono da construtora Engevix.

O delator revelou que pagou, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho, de Moreira Franco e com conhecimento de Temer, 1 milhão de reais em propina. O esquema de corrupção do qual o ex-presidente é suspeito de participar envolve mais de R$ 1,8 bilhão em propinas, entre prometidas e pagas.

Por volta das 17h25, Michel Temer desembarcou no aeroporto na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Ele foi encaminhado até a superintendência da Polícia Federal, no Rio de Janeiro, onde permanecerá preso preventivamente.

Antes de embarcar para o Rio, o político fez exame de corpo de delito e viajou em uma aeronave bimotor da Polícia Federal.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo