Dois suspeitos de matarem a vereadora Marielle Franco (PSOL) foram presos nesta terça-feira (12). Um dos suspeitos é o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e o outro é o ex-policial militar Élcio Vieira, de 46 anos.

A operação para prender o policial militar e o ex-PM teve início através de uma ação em conjunto da Delegacia de Homicídios (DH) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ).

Publicidade
Publicidade

As suspeitas começaram por conta de um deles estar utilizando o carro do crime. Para não chamar atenção, as equipes foram reduzidas. Por volta das 4h, as equipes já estavam no endereço dos suspeitos e cumprindo o mandato de prisão.

A prisão preventiva dos suspeitos foi decretada pelo juiz substituído do 4º Tribunal do Júri Gustavo Kalil, após a denúncia do Ministério Público (MP). Além da prisão, a operação cumpriu também mandado de apreensão nos endereços dos suspeitos.

Suspeitos de assassinar Marielle Franco foram presos no Rio (Foto: Banco de Dados/ Blasting News)
Suspeitos de assassinar Marielle Franco foram presos no Rio (Foto: Banco de Dados/ Blasting News)

De acordo com o Ministério Público, o policial militar Ronnie Lessa teria atirado na vereadora e no motorista Anderson Gomes. O segundo suspeito, o ex-militar Élcio Vieira de Queiroz, estava dirigindo o carro no momento dos disparos.

O Ministério Público pediu a suspensão da remuneração e do porte de arma de Lessa. A justiça fez um pedido também de indenização por danos morais às famílias das vítimas e pensão em favor do filho de Anderson Gomes.

Publicidade

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, os suspeitos também foram denunciados por tentativa de homicídio de Fernanda Chaves, assessora de Marielle, que sobreviveu ao atentado. O jornal informou também que o suspeito Ronnie Lessa foi preso em sua casa, no condomínio de luxo Vivendas da Barra, localizado na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, mesmo local onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa. Dos 34 imóveis ligados a investigação, todos já foram emitidos mandados de busca e apreensão.

Assassinato de Marielle Franco

No dia 14 de março de 2018, o motorista Anderson Gomes levava Marielle e a assessora Fernanda Chaves para um evento que debatia sobre mulheres negras. A vereadora e a assessora saíram por volta das 21h04. Às 21h30, um carro emparelhou com o da vereadora, disparou e fugiu sem roubar nada.

Marielle Franco morreu atingida por 4 tiros na cabeça. O motorista Anderson Pedro Gomes foi atingido por 3 tiros na lateral das costas e morreu. A assessora se feriu com estilhaços, foi levada ao hospital e liberada.

Publicidade

Quem matou Marielle?

A viúva de Marielle, Mônica Benício, disse à Folha que esta prisão dos suspeitos é um passo importante para as investigações, mas ainda não responde à pergunta sobre quem mandou matar e articular o crime e qual foi a motivação.

Leia tudo