Leandro Mohallem, assessor parlamentar da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), alega ter sido agredido neste último domingo (31) durante ato em comemoração aos 55 anos do golpe militar de 1964. Ele trabalha no gabinete da parlamentar na cidade de São Paulo. Juntamente com outros militantes de direita, Leandro comemorava a data que marcou o início do período da ditadura no Brasil.

Na tarde de domingo, manifestantes se uniram pelo país em atos contra e a favor do golpe de 1964, que completou 55 anos.

Publicidade
Publicidade

Os principais atos do Brasil ocorreram em São Paulo, onde os manifestantes se reuniram na avenida Paulista e no parque Ibirapuera. No Rio de Janeiro, os militantes se reuniram na Cinelândia. O ato da Paulista foi marcado por intensa confusão entre grupos rivais. Ao finalizar o ato em frente à Fiesp (Federação das Industrias de São Paulo), manifestantes teriam começado a se insultar e agredir fisicamente. Os militantes favoráveis à ditadura militar alegaram que foram provocados pelos manifestantes opostos. Cerca de 55 pessoas estavam envolvidas nos ataques, entre elas o assessor Leandro Mohallem.

Publicidade

A agressão

Em um vídeo gravado dentro do hospital para onde o assessor foi encaminhado logo após o confronto, localizado no bairro da Barra Funda, ele conta que foi atacado com pauladas e chutes por militantes não favoráveis ao golpe de 1964. Ele diz que estava andando quando uma pessoa o atingiu por trás na cabeça, fazendo com que ele caísse no chão. Segundo o relato, o agressor continuou batendo em Leandro, com intenção de matá-lo. Após a agressão, o assessor foi levado para o hospital por policiais militares e tomou pontos na cabeça.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Ele deverá ficar em observação para que sejam realizados exames e para avaliar a gravidade da lesão na cabeça.

A deputada Carla Zambelli publicou em suas redes sociais duas imagens do rapaz. Em uma ele aparece com a camisa coberta de sangue e na outra já com a camisa no ombro e uma faixa em sua cabeça. A deputada afirmou que a queixa do ocorrido foi registrada no 78º Distrito Policial (Jardins). Foi relatado também por Zambelli que um dos agressores de seu assessor já havia sido detido pela Polícia.

No relato feito por Leandro, ele conta que teria ido até o ato para ver amigos e porque ficou sabendo que uma pessoa teria feito um bolo nas cores verde e amarelo para comemorar a data. Ele conta ainda que teria observado um grupo de pessoas da oposição em sua direção e que chegou a pegar o celular para que pudesse gravar possíveis acontecimentos de agressões. O assessor parlamentar relata que as agressões começaram com uma pessoa atirando um cone de trânsito contra ele, enquanto outro tentou o agredir com um pedaço de madeira.

Publicidade

Ele concluiu o ato da agressão como uma tentativa de homicídio.

A delegacia onde foi registrada a ocorrência não pôde divulgar detalhes sobre o caso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo