O jornalista Augusto Nunes escreveu um artigo divulgado pela revista Veja, alertando sobre um grande perigo que estaria rondando o Governo do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com o colunista, Bolsonaro pode perder o ministro Sérgio Moro se o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) for retirado do seu ministério. As informações foram divulgadas na Veja nesta terça-feira (30). Vale ressaltar que Augusto Nunes é um jornalista muito próximo do ex-magistrado que conduziu a maior operação de combate à corrupção do país.

De acordo com Augusto Nunes, um dos propósitos de Moro em aceitar o convite de Jair Bolsonaro para que possa chefiar o ministério da Justiça e da Segurança Pública são os instrumentos legais que ele teria a seu favor para combater a corrupção. O ex-juiz montou uma equipe de primeira linha e apresentou o projeto anticrime ao país, buscando atender os anseios da população e reafirmando a bandeira de Bolsonaro que seria diminuir a violência e punir os corruptos.

Reação

Conforme publicação do jornalista, a reação de parlamentares que são ou já foram alvos da Operação Lava Jato foi enorme. Embora amparados pelo foro privilegiado, senadores veem Moro como um figura do mal e tentam retirar os seus poderes, como o Coaf, por exemplo.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, qualificou o ministro como um simples "funcionário de Bolsonaro, após Maia ser advertido pelo ministro da pressa que existia para que seu projeto anticrime pudesse ser votado no Congresso.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

Na concepção de Augusto Nunes, Moro deve ter percebido que no Congresso existem inúmeros parlamentares que não aceitam ele na chefia da Justiça e da Segurança Pública e destilam ódio pelos seus trabalhos que foram conduzidos com extremo sucesso quando este era responsável pela Lava Jato.

Retirar o Coaf de Moro é uma das intenções dos senadores, segundo Nunes. O órgão acabou sendo fortalecido com a entrada de Moro na Justiça.

Sem o apoio declarado do presidente das República, que não pode ir contra os anseios dos parlamentares, senão fica sem a aprovação de projetos importantes, Moro caminha sozinho na luta de manter com ele esse órgão de investigação e que proporcionará investigações importantes no combate à corrupção.

Augusto Nunes afirmou que conhece muito bem Sérgio Moro. Ele declarou que o ministro pode deixar o ministério caso as promessas feitas a ele não sejam cumpridas.

Vale ressaltar que além de Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também aprovou todos os instrumentos para que Moro realizasse os seus trabalhos da melhor forma possível. O jornalista terminou o artigo afirmando que existem poucos habitantes que acreditam em homens honrados no cenário político brasileiro. Segundo ele, "Moro provará que a espécie não foi extinta".

Veja o vídeo:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo