Nesta última quarta-feira (8), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, notificou o Congresso americano a respeito da intenção que tem de designar o Brasil como sendo um aliado prioritário extra-Otan.

Segundo o comunicado do presidente, a medida foi tomada devido aos esforços que o Brasil teria feito para aumentar a cooperação militar juntamente dos Estados Unidos, de acordo com os interesses que ambos países têm em aumentar a coordenação deles no país. O presidente dos EUA já havia informado anteriormente que tinha a intenção de tornar o Brasil uma prioridade extra-Otan. Isto foi dito durante a reunião que ele teve com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que ocorreu em Washington.

Nesta mesma ocasião, Trump demonstrou a sua intenção de que o Brasil fosse colocado como um membro efetivo da aliança militar. A respeito dessa intenção do presidente norte-americano, ela foi negada pelo secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, que disse que este fato não poderá acontecer, e salientou ser impossível que aconteça.

Se a declaração se confirmar, o Brasil irá entrar em uma lista que abriga países, como, por exemplo, Israel, Austrália e Argentina. A Argentina até o momento é o único país sul-americano que integra a lista.

O governo comandado por Trump destacou nesta última quarta-feira (8) que está apoiando a entrada do Brasil para que se inicie o seu processo para fazer parte da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Aliado extra-Otan

Ao se tornar um aliado extra-Otan, o Brasil passa a se aproximar militarmente dos Estados Unidos. Ao passar a fazer parte desta classificação, o Brasil passará a ser um comprador preferencial de equipamentos de tecnologia militar dos EUA. Poderá também participar de leilões organizados pelo Pentágono para vendas de artigos militares e irá obter também treinamento militar com as Forças Armadas norte-americanas.

Essa declaração, no entanto, é unilateral. Os Estados Unidos também não precisam que outros países aprovem a entrada do Brasil. E não existe nenhum tipo de vínculo com a Otan, pois ela ocorre de forma independente.

Outros 17 países já receberam essa mesma classificação que o Brasil poderá receber do país norte-americano.

Otan

A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) foi criada em 1949.

Ao início da Guerra Fria, ela foi fundada a partir de um pacto militar realizado entre países associados aos Estados Unidos. Após o fim da União Soviética, em 1991, nações que faziam parte deste bloco comunista, como por exemplo a Polônia e Hungria, começaram a fazer parte desta organização.

A organização hoje abrange ao todo 29 países. Um de seus princípios iniciais é garantir a defesa coletiva dos países participantes. Isso significa que, em casa de ataque realizado a algum membro da sigla, todos os outros imediatamente irão entrar em defesa do país que está sofrendo os ataques.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!