Depois das muitas polêmicas envolvendo críticas ao ministro da Secretaria do Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz, o escritor Olavo de Carvalho afirmou que não vai mais se meter na Política brasileira. Em entrevista ao site Crítica Nacional, ele disse que o debate político brasileiro "se tornou uma coisa absolutamente insustentável". Olavo fez duras críticas aos militares que estão no governo, principalmente a Santos Cruz.

Publicidade
Publicidade

Ainda disse que eles "ganharam" e que "podem ficar com o Brasil".

O escritor disse que os militares quiseram tirar ele do meio e conseguiram. Segundo Carvalho, agora ele vai ficar quieto e não vai comentar mais nada da politica brasileira. O professor ainda disse que o Brasil escolheu o seu caminho e escolheu as pessoas nas quais irá confiar. No entanto, segundo ele, essas pessoas não merecem a confiança dos brasileiros e, agora, vão se “danar”.

Publicidade

Para Olavo, o objetivo da ala militar do governo é cortar relação com os Estados Unidos e Israel e ter uma relação mais concreta com a China.

Considerado guru da família Bolsonaro, Olavo nega que exista uma ala “olavista” dentro do governo. Ele diz que isso é uma invenção de generais e jornalistas, que nas palavras dele são loucos.

Ainda durante a entrevista, o escritor nega ter ofendido o ex-comandante do Exército e assessor do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Eduardo Villas Bôas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Jair Bolsonaro

No último dia 7 de maio, o filósofo afirmou em mensagem em uma rede social que o general da reserva era um “doente” e estava preso numa cadeira de rodas. Para Olavo, dizer que um homem que está doente em uma cadeira de rodas não é ofendê-lo.

Olavo x militares

Desde o começo do governo Bolsonaro, a troca de farpas entre o escritor e a ala militar tem sido constante. Uma das brigas mais recentes foi entre o Olavo e Villas Bôas.

Após criticas do escritor às Forças Armadas, o general Villas Bôas disse, em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, que o escritor era um "Trótski de direita" e o que ele estava prestando um grande desserviço ao Brasil, já que o país precisa muito de união, mas que Olavo promove a discórdia.

Olavo também se envolveu em discussões com o vice-presidente Hamilton Mourão. Em março, o escritor chamou o Mourão de idiota.

Publicidade

Já o vice-presidente ironizou Olavo dizendo que ele deveria se limitar à função de astrólogo, após o escritor aparecer em vídeo na internet fazendo críticas aos militares no mês de abril.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo