Neste sábado (18), o presidente Jair Messias Bolsonaro voltou a criticar os manifestantes que protestaram contra os cortes na educação. Os protestos que ocorreram na última terça-feira (14), ao menos em nove estados do Brasil, contaram com a participação de escolas públicas e também particulares.

O presidente que estava em Dallas, nos EUA, para receber uma homenagem de personalidade do ano, disse na última quarta-feira (15) que os estudantes que participaram da manifestação eram “idiotas úteis” e “massa de manobra” de pessoas que querem ocupar o poder.

Publicidade
Publicidade

Ao receber alguns estudantes na porta do Palácio da Alvorada, o presidente voltou a afirmar neste sábado (18) que uma parte dos estudantes que estavam participando do protesto são “idiotas úteis”. Ele também voltou a fazer críticas à mídia ao afirmar que uma parte dela vive de mentiras e que deturpam informações.

Bolsonaro nega sanção de anistia a partidos

Bolsonaro desmentiu a mídia ao negar que tenha sancionado um projeto de lei que perdoava multas direcionadas a partidos políticos.

Publicidade

Segundo divulgado na imprensa, o projeto foi assinado na sexta-feira (17) com previsão para ser divulgado no Diário Oficial da União, na próxima segunda-feira (20).

O valor do perdão a partidos políticos poderia chegar a R$ 70 milhões, mas Bolsonaro negou que havia sancionado o projeto de lei. “Mas as imprensas [sic] estão dizendo que eu sancionei uma lei ontem para anistiar multas de R$ 60 milhões mais ou menos de partidos políticos. É mentira, eu vetei.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Estão dizendo que eu sancionei”, afirmou o presidente.

De acordo com o texto aprovado, não haverá punição para o partido que não usar recursos para patrocinar campanha de candidatas mulheres até as eleições de 2018. O presidente, no entanto, vetou a parte do projeto que retira obrigações de legendas devolverem doações aos cofres públicos recebidas de servidores comissionados que são filiados aos próprios partidos.

Bolsonaro disse ainda que não tinha intenção de generalizar ao afirmar que uma parcela da mídia vive de mentiras.

Ele disse que há no país boas emissoras e programas de TV, e bons rádios e jornais, entretanto, criticou a postura de quem noticia informações que foram classificadas por ele como deturpadas e desinformavam as pessoas.

O presidente pediu para a mídia mostrar a verdade se ele realmente tivesse errado em algo. O presidente fez essas declarações para um grupo de 36 estudantes de uma escola privada de São Paulo que chegaram ao Palácio do Alvorada gritando que queriam falar com o presidente: “oh, Bolsonaro, cadê você?

Publicidade

Eu vim aqui só pra te ver”.

Ao atender o grupo de estudantes, o presidente saiu para cumprimentá-los vestindo um short amarelo e uma camisa da seleção brasileira.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo