O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou da Marcha para Jesus em Brasília neste sábado (10) e aproveitou o momento para voltar a atacar a ideologia de gênero.

O presidente afirmou, em discurso, que a ideologia de gênero é "coisa do capeta" e que existiam leis que protegiam as maiorias contra essa ideologia: "o presidente vai respeitar a inocência das crianças em sala de aula. Não existe essa conversinha de ideologia de gênero. Isso é coisa do capeta".

De cima do trio elétrico do evento gospel, o presidente disse ainda que iria continuar defendendo a família tradicional e ressaltou a existência de leis que protegeriam as maiorias: "e deixo bem claro, as leis existem para proteger as maiorias".

Bolsonaro afirmou que não iria discriminar ninguém e que não tinha preconceitos, mas disse que não admitiria leis que ferissem os preceitos da família tradicional: "não podemos admitir leis que nos tolham, que firam os nossos princípios".

O presidente ainda criticou os modelos de famílias que não são compostos por homem e mulher e falou que se alguém quisesse que ele acolhesse a variação de famílias deveria apresentar uma emenda para modificar o artigo 226 da Constituição Federal. Ele disse ainda que mesmo que fosse apresentada uma emenda à Constituição, ainda assim não se convenceria, pois, segundo ele, a Bíblia não pode ser alterada e lá diz que a família é formada por um homem e por uma mulher.

Bolsonaro ataca ideologia de gênero em escola da filha

Durante um evento em homenagem ao Dia dos Pais, o presidente atacou a ideologia de gênero e falou que lutava constantemente para combater esta ideologia nas instituições escolares do país.

A fala do presidente foi gravada por pais presentes no evento que ocorreu na sexta-feira (9) na escola de sua filha caçula.

O jornal Folha de S.Paulo obteve acesso à gravação e afirmou que o presidente, além de atacar a ideologia de gênero, reconheceu que a situação da Educação no país não tem sido das melhores: "a educação no Brasil, com exceções de praxe, não vai muito bem. Em grande parte, devemos isso a uma ideologia que, ao longo de décadas, foi se aproximando das escolas".

De acordo com Bolsonaro, os pais almejavam que os filhos fossem bem instruídos nas escolas, e segundo ele, a ideologia de gênero deveria ser afastada do contexto escolar: "o trabalho é de tirar e afastar certas ideologias, como a ideologia de gênero".

O presidente tem utilizado o termo ideologia de gênero para contrapor as concepções defendidas pela teoria de gênero que defende que a orientação sexual é criada nas relações sociais e não predeterminada biologicamente. Não obstante, Bolsonaro acredita que essa teoria é uma ideologia defendida pelos grupos de esquerda, com o intuito de modificar os valores da família tradicional.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!