Segundo informações da agência de notícias Reuters, o presidente da República, Jair Bolsonaro, chamou deputados de confiança do PSL para uma reunião nesta terça-feira (12) na qual irá anunciar sua saída do partido e discutir uma nova sigla, criada com os ideais de Bolsonaro e os 9 deputados que deverão compor, a priori, o novo partido.

De acordo com uma fonte que conversou com a agência Reuters, a decisão de sair da sigla que compõe atualmente, e com a qual se elegeu, já está tomada há algum tempo, mas os próximos passos após a saída de Bolsonaro ainda estão sendo pensadas.

Há algum tempo a criação de um novo partido já vem se mostrando uma possibilidade viável, tendo sido a vontade de Bolsonaro desde o início, e que com a acessibilidade e o crescimento das redes sociais, este caminho se tornou palpável, afinal, há a probabilidade coleta de assinaturas eletrônicas, o que viabiliza e torna mais fácil o processo.

Para a agência de notícias, o deputado Bibo Nunes (PSL-RS) –um dos parlamentares suspensos em outubro pela direção do partido– confirmou a existência desta reunião amanhã, e que o intuito é, de fato, a discussão da criação de um novo partido.

Nunes ainda afirmou que já se considera fora do partido e que a ideia inicial dos deputados e do presidente é a criação de um partido “do zero”. Segundo o parlamentar, eles desejam viabilizar a criação de uma nova legenda tão logo seja possível, e de preferência até fevereiro, para que possam registrar candidaturas em âmbito municipal em outubro do ano que vem.

Alguns aliados do presidente consideram que a criação de um novo partido é muito complexa e, por isso, a viabilidade no momento fosse a associação de Bolsonaro à nova UDN ou ao Partido Militar Brasileiro –ambos com o processo de registro quase que finalizado.

Já a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), também suspensa pela direção do partido, afirmou que o encontro foi convocado para decidir o que a ala bolsonarista dentro do partido fará, porém, não há nada garantido e o presidente não disse com palavras certeiras o que pretende fazer.

Por que sair do PSL?

Toda a discussão relativa à permanência no partido aconteceu depois de Bolsonaro ser gravado afirmando a um dos apoiadores para “esquecer o PSL” e que o presidente do partido estaria “queimado” por diversas denúncias que envolvem o nome da legenda.

A discussão veio a tona no mês passado, e a bancada da Câmara tomou partidos diversos, fazendo com que o partido se dividisse. O líder do partido Delegado Waldir foi deposto, enquanto Eduardo Bolsonaro (SP) assumiu o posto.

A executiva nacional e os diretórios regionais não são encabeçados por pessoas ligadas ao PSL, o que fez com que perdessem força e não tivessem controle do fundo partidário. A executiva suspendeu nomes ligados a Bolsonaro e deu início ao processo de expulsão contra Eduardo Bolsonaro e Zambelli.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!