Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi solto nesta sexta-feira (8), após decisão do STF de acabar com a prisão após decisão em 2ª instância e estabelecer que prisões só podem ocorrer após o trânsito em julgado do processo, ou seja, após todos os recursos jurídicos cabíveis tendo sido utilizados.

A decisão tomada na noite de quinta-feira (7) levou à soltura do ex-presidente, que logo após deixar a prisão em Curitiba foi recebido por cerca de 200 militantes, o que o fez subir em umapalanque para discursar.

Em seu primeiro pronunciamento solto, anunciou a sua volta ao cenário político, através de viagens por todo o Brasil.

Ainda em seu discurso, Lula criticou o governo Bolsonaro e os envolvidos na sua condenação, criticando em especial o ministro Sergio Moro, membros da Lava Jato e representantes a Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

Em seu pronunciamento, agradeceu a militância que permaneceu em Curitiba durante os quase 19 meses em que esteve preso e apontou os mesmos como alimentos para a democracia e para si durante o período.

Seu discurso ainda apresentou surpresas aos seus apoiadores, já que Lula aproveitou a ocasião para apresentar a socióloga Rosangela Silva como sua noiva, o que rendeu diversos aplausos por parte da multidão.

Próximas ações

Após a passagem pela chamada vigília, como o próprio PT nomeia o grupo de militantes que montou um acampamento em frente à Superintendência da Política Federal em apoio ao ex-presidente, ele deverá comparecer a um ato no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC neste sábado (9), em São Bernardo do Campo, onde fará outro pronunciamento.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Jair Bolsonaro

Para seus apoiadores, o retorno ao local é voltar ao seu berço político. O local, inclusive, foi palco de sua despedida e onde ficou antes de se entregar a política, em um comício cercado de apoiadores por todo o local.

Processo de soltura

O pedido de soltura se deu ao longo desta sexta-feira. O juiz Danilo Pereira Jr, que substitui Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal em Curitiba, foi o responsável pela soltura.

Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente, está de férias.

Em resposta aos jornalistas presentes, Pereira Jr. afirmou que após a decisão de ontem, não haveria outro fundamento fático para o início do cumprimento do que foi decidido pelo Supremo.

Lula estava preso desde de abril de 2018 por conta de sua condenação no caso do tríplex de Guarujá (SP).

A prisão do ex-presidente foi considerada um dos marcos da Operação Lava Jato por parte de especialistas, por demonstrar a magnitude que havia tomado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo