A dívida que Denise Veberling Lorenzoni, Mulher do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, tem com uma amiga, a comissária de voo Amanda Oliveira, voltou a ser paga, de forma parcelada, pouco antes de a informação de que ela teria dado um calote se espalhar nesta última segunda-feira (13). As informações são da coluna de Leo Dias, do portal UOL.

Depois que foram iniciadas as investigações a respeito do caso, parte do valor que Denise devia apareceu de forma misteriosa na conta bancária de Amanda.

Segundo ela informou, no último dia 9 aconteceram dois depósitos em sua conta, um no valor de R$ 1.500 e outro no valor de R$ 250.

Com isso, foi quitada mais uma parte da dívida que Denise tem com Amanda. A dívida começou em R$ 10 mil, e atualmente, com esses novos pagamentos que foram feitos, estaria em R$ 3 mil.

No entanto, a comissária de voo declarou à coluna de Leo Dias que não tem nenhuma indicação de quem foi que realizou os depósitos em sua conta nos valores que foram informados.

Amanda, no entanto, deu uma declaração muito desapontada falando que, para ela, é bem provável que os depósitos tenham sido feitos por Denise.

Amiga não desiste de processo

Por mais que uma parte do valor já tenha sido paga por Denise, Amanda afirmou que vai continuar com o processo que está sendo movido na Justiça contra a mulher do ministro-chefe da Casa Civil. Amanda declarou que agora está esperando que seu advogado, Mardson Costa, resolva o assunto, porque foram muitos problemas até agora que ela teve que enfrentar por conto do dinheiro que foi emprestado.

A comissária ainda deixou claro que com o processo ela espera ao menos receber algo pelos danos morais sofridos, já que ela precisou iniciar o processo para poder resolver o caso.

Em matéria publicada no Jornal de Brasília na segunda-feira (13), Amanda afirmou que Denise havia pego com ela um empréstimo no valor de R$ 10 mil no ano de 2016, mas que agora, quatro anos depois que o valor foi emprestado para a mulher do ministro-chefe da Casa Civil, ela não havia recebido o valor integral do que foi emprestado, e Denise havia devolvido para ela apenas metade do empréstimo.

O valor que foi pago anteriormente teria sido efetuado de forma parcelada e inconstante, por todo este tempo que a dívida vem durando. Amanda contou ainda que Denise, que recebe pouco mais de R$ 8 mil como assessora do gabinete do Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, alegou que não tinha dinheiro para pagar a dívida.

Não perca a nossa página no Facebook!