Jair Bolsonaro já havia revelado anteriormente a sua insatisfação com o atual ministro da Justiça, Sergio Moro, devido a seu “sumiço” diante da pandemia do novo coronavírus. Agora, segundo informações de uma reportagem realizada pela jornalista Jussara Soares, do jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da República chegou a chamar Moro de “egoísta” por não defender sua posição contra governadores de estados.

Segundo o jornal, Bolsonaro disse que o ex-juiz federal “só pensa nele” e que “não está fazendo nada” diante da atual situação do Brasil. Depois disso, as críticas do presidente acabaram virando diversos memes nas redes sociais.

Em um deles, Moro aparece tampando os olhos, bocas e até ouvidos.

Anteriormente, Jair Bolsonaro já havia dito que cogitava demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Vale ressaltar que Mandetta também é defensor da medida de isolamento para enfrentar a pandemia de coronavírus no Brasil.

Moro posta resposta tímida

Após receber as críticas de Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (30), Moro compartilhou uma espécie de resposta tímida para o atual presidente da República. Ao compartilhar um artigo publicado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que defende que no momento a hora é de ouvir a Ciência, Moro legendou dizendo: “prudência no momento é fundamental”.

Jair Bolsonaro estuda demitir Mandetta

Nos últimos dias, Jair Bolsonaro desabafou com seus auxiliares próximos dizendo estar “de saco cheio de Mandetta”, se referindo ao atual ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

No entanto, segundo informações do colunista Tales Faria, do portal UOL, o presidente só não demitiu o ministro até agora para evitar agudizar ainda mais a crise do país devido a pandemia do novo coronavírus.

Bolsonaro está se sentindo abandonado por Mandetta que, vale lembrar, lhe apoiou nas eleições de 2018.

Por isso, o presidente teme demitir o ministro da Saúde e isso acabar impactando em um rompimento definitivo com este grupo e com uma parcela da opinião dos brasileiros que ele representa. Mesmo assim, Bolsonaro já escolheu uma pessoa para suceder o ministro da Saúde, Antonio Barra Torres, presidente da Anvisa e médico da Marinha.

Mandetta já disse que não irá abandonar “critérios técnicos” de regras para ajudar a prevenção e o combate ao novo coronavírus. Além disso, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o ministro da Saúde já foi direto ao dizer a Bolsonaro que não irá pedir demissão. Com isso, Mandetta jogou toda a responsabilidade de seu afastamento, caso o mesmo aconteça, nas costas do presidente da República.

Mesmo assim, Bolsonaro continua afrontando as orientações do ministro, publicamente.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!