No último domingo (29), o Twitter apagou duas postagens do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), com vídeos que gravou nas cidades-satélites de Brasília. Um dos vídeos mostra o presidente conversando com vendedores ambulantes, enquanto outro vídeo mostra ele visitando um supermercado, provocando uma aglomeração e contrariando uma orientação dos técnicos da saúde para parar a proliferação do coronavírus.

Em uma nota do Twitter sobre o assunto informa que ampliou nas suas regras para abarcar também questões contrárias à saúde de todo mundo.

Nos dois vídeos, mostram a defesa de Bolsonaro que as pessoas voltem a trabalhar e volta a falar do remédio hidroxicloroquina como um tratamento para o Coronavírus. Os estudos sobre sua eficácia estão ainda em avaliação inicial.

Segundo o Twitter, houve uma ampliação em todo o mundo nas suas regras em avaliar conteúdos que forem contra as informações que são passadas das fontes oficiais e confiáveis.

Bolsonaro contraria as recomendações da OMS

Não é a primeira vez que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contraria as orientações do seu próprio Ministério da Saude e também da OMS (Organização Mundial da Saúde) e defende, abertamente, o fim do isolamento social. As orientações referentes ao isolamento social servem para não haver uma maior contaminação na sociedade do Coronavírus.

Bolsonaro vem fazendo duras criticas às medidas tomadas de quarentena adotadas pelos governadores e prefeitos em todo o país, dizendo que eles são, na verdade, exterminadores de empregos e estão trabalhando com o conceito de “terra arrasada”. Segundo a visão do presidente, os governadores e prefeitos estão cometendo um ato de crime contra a economia brasileira.

No último domingo (29), logo depois de dar um passeio nas cidades-satélites da capital do Brasil, o presidente falou estar com vontade de decretar –editando um decreto– na segunda-feira (30), que poderia liberar uma volta ao povo para o trabalho. Essa medida, porém, contraria as decisões do Ministério da Saúde e o seu ministro, Luiz Henrique Mandetta.

O presidente vem adotando um discurso que tem minimizado a pandemia, dizendo por inúmeras vezes que o Coronavírus seria uma “gripezinha”. Contudo, segundo os dados do próprio Ministério da Saúde do seu Governo, o Coronavírus já vitimou 136 pessoas até o último domingo (29) no Brasil. Ainda, segundo os mesmos dados, existem 4.256 casos que já foram confirmados de contágio do coronavírus.

No mundo inteiro, a pandemia da COVID-19, segundo a OMS, já vitimou mais de 30 mil pessoas e existem 638 mil casos já confirmados em 202 países.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!