O presidente Jair Bolsonaro tem enfrentado o impacto que o coronavírus está causando no Brasil na contramão do recomendado pelo o Ministério da Saúde, que é permanecer em isolamento social para evitar a propagação acelerada do coronavírus, indo contra as recomendações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Por conta dessa situação o chefe do governo não estaria muito satisfeito com Mandetta.

Segundo informações de Tales Faria, colunista do portal UOL, Jair Bolsonaro tem falado entre seus auxiliares que está ficando “de saco cheio” e ainda não demitiu o ministro da saúde para não agravar a crise causada pela doença COVID-19 no país.

Segundo ele, Bolsonaro tem se sentindo abandonado por parte do empresariado que o apoiou na ocasião da campanha eleitoral em 2018 para presidência da República.

O presidente tem receio que esses empresários possam romper a aliança com ele definitivamente, juntamente com a opinião pública.

De acordo com Tales Faria, Bolsonaro já teria até um substituto para ocupar o Lugar do Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. O nome cogitado seria a do Antônio Barra Torres, presidente da Anvisa e médico da Marinha.

As possíveis desavenças entre Bolsonaro e Mandetta, mesmo que discretas, vêm se tornando mais notórias nos últimos dias, pode-se notar pelo posicionamento contrário do ministro em entrevistas sobre o coronavírus, que não condiz com as falas e atitudes de Jair Bolsonaro. O Ministério da Saúde aconselha que, quem pode fique em casa, enquanto o presidente defende que só os grupos de risco fique em quarentena.

Possível pedido de demissão de Mandetta

Mandetta chegou afirmar recentemente que não pretende pedir demissão e enfatizou que não abandonará os “critérios técnicos” especialmente o que se tratar do coronavírus que provoca a doença COVID-19. O posicionamento do ministro, teria levado a conversas internas entre os envolvidos e fez com que o tom que Mandetta vinha mantendo sobre o isolamento ficasse um tanto diferente.

Por outro lado, o ministro da saúde parece contar com o apoio de vários aliados nesta “luta”. De acordo com informações do jornal o Globo, eles preveem um possível crescimento dos conflitos com o presidente da República. Nos próximos quinze dias a avaliação do quadro da pandemia será crucial para revelar quem está certo ou errado.

Aliados pedem que Mandetta resista no cargo.

Neste domingo (29) a postura do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mudou em relação à quarentena. O presidente pediu que a população americana fique em casa até o dia trinta de abril. Anteriormente Trump iria encerrar o isolamento na Páscoa, no próximo dia (12).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!