Com direito a troca de insultos, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o senador Major Olímpio (PSL), quase chegaram às vias de fato na manhã desta segunda-feira (16), e precisaram ser contidos por seguranças. O desentendimento ocorreu durante um evento no Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), que fica no bairro da Barra Funda, região oeste da capital.

O governador chegava em um carro oficial ao evento quando foi abordado pelo Major, que estava acompanhado do deputado federal Coronel Tadeu (PSL).

O senador sentou no capô do veículo e gritava palavras de ordem contra Doria, que decidiu sair do carro e seguir seu trajeto a pé, mas foi seguido pelo deputado. Imagens feitas por um telefone celular mostra Olímpio chamando o governador de “fujão”. “Você não tem respeito”, esbravejava o parlamentar.

Outro vídeo, gravado já dentro do recinto onde estava sendo realizado o evento, mostra os dois políticos sendo contidos por seguranças. Doria chega a chamar de “vagabundo” o senador, que acabou sendo retirado o local por seguranças do governador.

Na saída ele ainda protestou contra o governador e seguiu falando palavras de ordem.

Versão do Major

O senador deu sua versão para o desentendimento ocorrido na sede do Dope. Segundo o parlamentar, os policiais foram convocados pelo governador para uma sessão de imagens e ficarem desde as 7h aguardando sua chegada ao local. Ainda na versão de Olímpio, os policiais teriam ficado incomodados com o tempo de espera e lhe avisado da situação e por isso ele foi até o local, junto com o deputado federal.

O Major classificou a atitude do governador de São Paulo como covarde e disse que “não vai ficar barato isso”. “Não comigo, comigo que se dane, mas com os policiais de São Paulo”, falou o senador em um vídeo postado em suas redes sociais.

Versão do Palácio dos Bandeirantes

A Assessoria de Imprensa do Palácio dos Bandeirantes emitiu uma nota oficial onde afirmou que o govenador do estado está "preocupado com a saúde dos brasileiros de São Paulo”.

O texto diz ainda que o senador “deveria honrar o seu mandato e fazer o mesmo” e ainda disse que não é momento para fazer proselitismo político eleitoral. A nota apontou que o senador quer fazer campanha eleitoral na hora errada.

Sindpesp se manifesta

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) emitiu uma nota oficial apoiando o protesto do senador e criticando João Doria. O texto diz que Major Olímpio foi impedido de expor democraticamente suas opiniões a mando do governador, que para calar sua voz determinou o uso da violência.

A nota diz ainda que parlamentares subservientes ao governador participaram do evento sem demostrar constrangimento.

Não perca a nossa página no Facebook!